Jejum seco: Conheça os perigos dessa prática

16 de março, 2020

Você já deve ter ouvido falar que o corpo humano adulto é composto de cerca de 60% de água. Mas, será que é possível (e seguro) perder peso por não beber água? O jejum seco é uma “moda” promovida online por influenciadores do estilo de vida e fitness. A ideia por trás da metodologia é deixar de beber água para, supostamente, potencializar o emagrecimento. Em vez disso, você obtém água apenas de fontes alimentares, como frutas e legumes.

Porém, essa é uma abordagem de dieta que os especialistas em saúde e nutrição garantem ser perigosamente equivocada. Saiba mais. 

O que dizem os seguidores do jejum seco

Os defensores desse “estilo alimentar” dizem que há uma ampla gama de benefícios à saúde com o jejum seco. Isso incluiria perda de peso, índice de massa corporal reduzido (IMC), imunidade reforçada e níveis mais baixos de inflamação. Por outro lado, a medicina defende que o jejum seco não é apenas cientificamente suspeito, mas potencialmente prejudicial ou fatal.

Leia mais: Água: Você sabe quanto deve tomar todos os dias?

A opinião da ciência

De acordo com um artigo publicado pela nutricionista Aurielle James-Sarpong, professora da Universidade de Maryland nos Estados Unidos, o jejum seco tornaria difícil para o nosso corpo concluir tarefas diárias, como liberar toxinas ou ajudar os nutrientes a entrar nas células. “Nossos rins, coração, pulmões – e todos os outros órgãos corporais em que confiamos para uma vida normal e saudável – sofreriam muito sem a hidratação adequada”, alerta. 

Deixar de beber água é ainda mais perigoso para quem pratica atividade física, está doente ou em tratamento de problemas de saúde como o câncer.

Sendo assim, o jejum seco aumenta o risco de uma pessoa desidratar, o que pode levar a cálculos renais, convulsões, baixo volume sanguíneo e pressão arterial baixa, desequilíbrio eletrolítico e até morte. E embora as frutas e os legumes contenham água, seria difícil obter água suficiente para se hidratar de maneira ideal. 

Também, a falta de água e líquidos, especialmente quando feita com frequência, pode levar a um aumento de infecções do trato urinário e de pedras nos rins.

Por fim, aumentar a ingestão de água é realmente uma estratégia de dieta melhor do que praticar o jejum seco. 

Leia também: O que acontece quando não bebemos água suficiente

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.