Intolerância à lactose em bebês: o que é, sintomas e como tratar

Gravidez e maternidade Saúde
31 de Agosto, 2023
Bárbara Shibuya Alves
Revisado por
Enfermeira • Coren-SP 752311
Intolerância à lactose em bebês: o que é, sintomas e como tratar

A intolerância à lactose se manifesta com sintomas característicos e, muitas vezes, desconfortantes, como diarreia, inchaço abdominal, cólicas e excesso de gases. Embora seja mais comum em adultos, essa condição também pode afetar bebês e crianças e impactar o bem-estar dos pequenos. A seguir, saiba mais sobre a intolerância à lactose em bebês.

Veja também: Bomba de tirar leite: benefícios, como usar e qual modelo escolher

Intolerância à lactose em bebês

A intolerância à proteína do leite acontece quando o organismo tem dificuldades para digerir a lactose, que nada mais é do que um tipo de açúcar encontrado no leite e em outros lácteos. Geralmente, essa condição é identificada quando o bebê começa a ter contato com o leite ou derivados, o que normalmente acontece no primeiro ano de vida — lembrando que a introdução alimentar antes dos seis meses não é recomendada pela OMS e pelo Ministério da Saúde. 

Diferentemente da fase adulta, o aparecimento da intolerância na infância pode indicar intolerância temporária, principalmente em bebês prematuros ou até congênita, condição rara que existe desde o nascimento. 

Além disso, outras condições gastrointestinais podem reduzir a produção de lactase, como a gastroenterite, alergia à proteína do leite de vaca e histórico familiar. 

Principais causas

A intolerância à lactose pode ser classificada de três formas:

  • Deficiência congênita da enzima – genética (sem capacidade de produção da enzima lactase);
  • Diminuição enzimática secundária a doenças intestinais: comum em crianças no primeiro ano de vida e ocorre devido diarreia persistente, pois há morte das células da mucosa intestinal;
  • Deficiência primária – conforme o avançar da idade, existe a tendência de diminuição da produção da lactase. 

As causas da intolerância à lactose são definidas pelas seguintes características:

  • Dificuldade de digestão e absorção da lactose;
  • Prognóstico: pode evoluir de modo transitório ou definitivo, portanto, algumas pessoas/ crianças toleram pequenas quantidades de lactose.

Sintomas de intolerância à lactose em bebês

Nos bebês, a condição é mais rara, mas se manifesta de forma semelhante em adultos. De acordo com a nutricionista Nathalia Asato, os sintomas aparecem após a ingestão do leite e podem variar de acordo com a quantidade ingerida e/ou tolerada pelo bebê. Em alguns casos, pequenas quantidades podem ser bem toleradas, o que não ocorre nos casos de alergia ao leite. Confira os sintomas a seguir: 

  • Cólicas, dor abdominal e inchaço;
  • Diarreia aquosa;
  • Gases;
  • Assaduras em função das fezes ácidas;
  • Coceira na pele e vermelhidão;
  • Prisão de ventre;
  • Coceira na área ao redor dos lábios;
  • Vômitos.

Riscos da intolerância à lactose em bebês

Durante a infância, o corpo da criança é preparado e desenvolvido para vida adulta e a falta de ingestão de leites e alimentos com lactose pode afetar o crescimento e também os órgãos como intestino grosso, o que aumenta os sintomas como: gases e diarreia, desidratação e acidose metabólica; e também, ocasionar enfraquecimento dos ossos, e cognitivo. 

“A deficiência de lactase pode prejudicar a memória da criança ocasionando problemas de concentração, dores musculares e alergias diversas e que muitas vezes desenvolvem outras reações e aparecimento de sintomas clínicos. As consequências podem prejudicar o desenvolvimento dos ossos, distensão abdominal”, afirma a nutricionista.

Portanto, as crianças com quadro de intolerância à lactose devem realizar acompanhamento nutricional, verificando a adequação dos nutrientes para otimização do crescimento e vida saudável.

Como diagnosticar a intolerância à lactose em bebês?

O primeiro passo é a observação dos sintomas que o bebê apresenta ao consumir leite. Se as cólicas, dores abdominais, inchaço e diarreia forem constantes, além do desconforto, é o momento de suspender o leite e levar o seu pequeno ao pediatra.

Dessa forma, em ambiente clínico, o médico poderá realizar alguns testes para comprovar a intolerância, como teste de respiração de hidrogênio ou acidez das fezes.

Tratamento 

Geralmente, nas crianças e bebês, a intolerância à lactose é temporária e tende a passar em curto espaço de tempo. No entanto, enquanto houver intolerância, é necessário readequar a alimentação retirando a lactose com os devidos cuidados para não reduzir as fontes de cálcio e vitamina D. Nessa fase de crescimento, o cálcio é essencial para a criança. 

Para garantir que nenhum nutriente foi retirado indevidamente, o ideal é manter o acompanhamento do bebê com um nutricionista, que avaliará todas as necessidades e possibilitará a melhor forma de reposição.

Como deve ser a alimentação do bebê com intolerância?

Como explica a nutricionista, a dieta para intolerância à lactose tem o objetivo de eliminar ou reduzir os alimentos que contém lactose da alimentação, como o leite de vaca, leite de cabra, iogurte, manteiga e queijos.

Os alimentos que devem ser priorizados da dieta para intolerância à lactose são:

  • Legumes e Hortaliças – exemplo: espinafre, agrião, rúcula; couve; quiabo; almeirão;
  • Frutas frescas – exemplo: banana, morango, pera, uva, laranja, caqui, melão, melancia, maçã;
  • Laticínios sem lactose – exemplo: leite sem lactose, iogurte sem lactose, queijo sem lactose;
  • Peixes, Carne vermelha e Frango;
  • Tubérculos – exemplo: inhame, mandioquinha, batata, batata doce, cará, mandioca;
  • Cereais Integrais;
  • Leguminosas – exemplo: feijão, grão de bico; lentilha.
  • Por fim, iogurtes e bebidas vegetais fortificados com cálcio e vitamina D – exemplo: bebida vegetal de aveia/ arroz ou amêndoas – sem lactose. 

Veja também: Intolerância à lactose: o que é e como ter uma rotina saudável

Referências: Ministério da Saúde.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas