Intolerância à cafeína: o que é, sintomas e o que fazer

Alimentação Bem-estar
10 de Agosto, 2022
Intolerância à cafeína: o que é, sintomas e o que fazer

É só beber apenas uma xícara pequena de café, que taquicardia, sudorese intensa e outros sintomas aparecem? Pois vale ficar de olho: algumas pessoas apresentam a chamada intolerância à cafeína sem saber.

De acordo com o nutricionista Felipe Donato, mestre em Educação Física e expert do Grupo Supley, a questão é genética, e pode ser explicada por mutações em enzimas presentes no fígado, responsáveis pela metabolização e pela excreção da cafeína — substância estimulante presente no café.

Ainda segundo o especialista, essas alterações genéticas tornam certos indivíduos “metabolizadores rápidos de cafeína”. Mas o que isso quer dizer? Que eles “são capazes de sentir menos os efeitos da substância, não tendo sintomas indesejáveis”, afirma.

Por outro lado, os menos tolerantes metabolizam lentamente o composto presente no café. “Estão, assim, mais suscetíveis ao acúmulo de cafeína no organismo e seus possíveis efeitos”, explica.

Leia também: 9 ervas e especiarias que não podem faltar no prato da Gisele Bündchen!

Sintomas de intolerância à cafeína

Mesmo com doses baixas da substância, a pessoa pode ter:

Não existe um tratamento para a condição. O ideal, então, é evitar o seu consumo. Contudo, se você não abre mão de um café quentinho, vale entender qual é a dose limite que o seu organismo tolera, e tentar não ultrapassá-la. Por isso, converse com o seu médico e explique melhor o seu caso para ele.

Benefícios da cafeína

Além disso, quem não tem problemas com a substância pode se beneficiar das suas propriedades. Felipe Donato elenca algumas:

  • Auxilia no estado de atenção por agir nos receptores de adenosina no sistema nervoso central, deixando a pessoa menos cansada e com mais foco;
  • Contribui para a lipólise (isto é, queima de gordura);
  • Aumenta a velocidade de contração muscular, potencializando o rendimento esportivo.

Leia também: Iogurte saudável: como escolher a melhor opção?

Quanto consumir por dia?

Justamente por algumas pessoas tolerarem melhor a cafeína do que outras, a quantidade ideal varia. Entretanto, o profissional fala entre 200 e 400mg/dia — o que equivale de 3 a 5 xícaras pequenas de café.

Para quem precisa de mais disposição para treinar, a cafeína é uma ótima opção para ser ingerida antes da prática. Mas deve ser evitada à noite, já que pode atrapalhar o sono.

Fonte: Dr Felipe Donato, nutricionista, mestre em Educação Física e expert do Grupo Supley.

Referência: Denden et al. Gender and ethnicity modify the association between the CYP1A2 rs762551 polymorphism and habitual coffee intake: evidence from a meta-analysis. Genetics and Molecular Research, 2016.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina