Insônia: quais alimentos atrapalham o sono?

18 de julho, 2022

Demorar muito para pegar no sono e passar o dia pensando ansiosamente na hora de dormir podem ser sinais de insônia. Além de hábitos como fazer exercícios e diminuir o tempo em frente às telas, a alimentação é uma aliada importante para garantir noites bem dormidas. De acordo com Vanessa Losano, nutricionista da Vitat, alguns alimentos podem atrapalhar esse processo e devem ser evitados.

Leia mais: Insônia: O que é, sintomas, causas e tratamento

Quais alimentos evitar em caso de insônia?

A última coisa que uma pessoa com dificuldades de dormir precisa é de bebidas ou comidas que geram no corpo a sensação de estado de alerta. Segundo Vanessa Losano, entram no topo desta lista as opções ricas em cafeínas, como o chocolate, o chá mate ou preto e o próprio cafezinho.

Para algumas pessoas, qualquer quantidade destes alimentos pode impactar a qualidade do sono. Para outras, adaptar a dosagem e limitar o consumo até às 15h já seria suficiente para não atrapalhar o descanso.

Outro ponto de atenção são suplementos que têm na sua composição estimulantes, muito conhecidos entre pessoas que treinam. Na avaliação da especialista, pode ser perigoso consumi-los sem indicação profissional. Pacientes com pressão alta, por exemplo, não deveriam tomá-los.

“Uma dieta rica em produtos industrializados, com muito açúcar e gordura, também tende a atrasar o sono. Condimentos artificiais, frituras, refrigerantes e carnes gordurosas estão entre as opções indesejadas. À noite, comer comidas leves, que são digeridas com facilidade, auxiliam o corpo a desacelerar”, aconselha Vanessa Losano, da Vitat.

O que fazer para recuperar o sono

Ainda de acordo com a nutricionista da Vitat, são os alimentos que ajudam na produção de serotonina, um neurotransmissor responsável por regular o sono, que devem estar na lista de compras de quem sofre com insônia. Ovos, abacate, castanhas, banana e brócolis são alguns exemplos.

Além de cuidar da alimentação, pegar sol e fazer treinos funcionais, dança, lutas ou caminhada são hábitos muito recomendados para quem costuma ficar horas virando de um lado para o outro na cama buscando o sono. “Estudos comprovam que fazer exercícios físicos de forma regular influencia positivamente na qualidade do sono. Chegamos no fim do dia com o corpo cansado, dando sinais da necessidade de dormir. Além disso, treinar ajuda na prevenção e no tratamento da ansiedade e da depressão, condições que causam insônia”, esclarece Eduardo Netto, diretor técnico da Bodytech. Seja do computador ou do celular, evitar as telas e deixar o quarto escuro também são dicas cruciais.

É importante lembrar que nem sempre apenas os cuidados citados serão suficientes para retomar uma rotina tranquila de sono. Nestes casos, a combinação da mudança de hábitos com o acompanhamento de psicólogos e médicos é o que vai ser decisivo no tratamento da insônia.

Fontes: Vanessa Losano, nutricionista da Vitat e Eduardo Netto, diretor técnico da Bodytech.