Implante de íris: procedimento devolve autoestima e função do olho

24 de maio, 2022

A íris é a parte visível e colorida dos olhos que controla os níveis de luz de um ambiente. Contudo, algumas pessoas nascem sem o tecido (aniridia congênita), ou tiveram traumas e doenças oculares que atrapalham a função da íris. Recentemente, a empresa alemã HumanOptics anunciou o implante de íris artificial como solução para quem sofre com a sensibilidade à luz causada pela ausência ou distúrbios que afetam a íris.

Veja também: Afinal, o que é o retinoblastoma, tumor raro que atinge os olhos?

Benefícios do implante de íris

Distribuída pela Advance Vision, o Artificialíris, nome comercial do implante, acaba de desembarcar no Brasil. A novidade recupera não só a autoestima de quem convive com aniridia, mas também a qualidade de vida. “Graças aos avanços tecnológicos, o implante ocular de íris artificial estabelece um novo nível na reabilitação destes pacientes. Como resultado, há expressiva melhora na visão, diminuição da sensibilidade à luz e alguns casos de visão dupla. Não é uma indicação com objetivo estético. Mas pode contribuir para a aparência dos olhos, aumentando a autoestima, principalmente dos jovens com perda parcial ou total da íris”, reforça o oftalmologista Renato Kingelfus Pinheiro. 

Como funciona o implante de íris

A princípio, o implante possui três colorações distintas: verde, azul e castanho em nuances variadas. “O material utilizado para a produção é um silicone biocompatível que dificilmente causa rejeição nos pacientes. Porém, para o sucesso do tratamento, a técnica cirúrgica é fundamental para o posicionamento correto do implante”, explica.

Segundo Pinheiro, a cirurgia pode ser realizada em conjunto com outros procedimentos, como a inclusão de uma lente intraocular para correção de catarata. Para a colocação da íris artificial, o oftalmologista cirurgião faz pequenas incisões nos olhos. Por ser um implante flexível e ultrafino, é possível dobrá-lo e enrolá-lo no momento da inserção para o encaixe ideal. Além da aparência, as opções de aplicação são ajustáveis à anatomia, e adaptáveis às condições específicas do olho afetado.

Quem pode fazer a cirurgia?

Vale ressaltar que o implante de íris não é uma cirurgia estética para modificar a cor dos olhos. Por isso, ela é ideal para portadores de problemas de visão relacionados à perda parcial ou total da íris. Ou, ainda, quando o tecido não controla a incidência de luz corretamente. “A fotossensibilidade pode ser causada pela aniridia congênita e acidentes de carro, por exemplo. Além disso, pessoas com albinismo têm muita sensibilidade à luz, pois a íris possui pouca pigmentação. Dessa forma, o implante traz excelentes resultados para esses grupos”, afirma Pinheiro.

Como é o pós-operatório?

A recuperação da cirurgia não exige cuidados complexos. “Normalmente utilizamos medicamentos tópicos, em forma de colírio, para prevenir infecções oculares e outras complicações. Se fazemos outra cirurgia além do implante de íris, como a de catarata, recomendamos o repouso de atividades físicas por algumas semanas”, alega o oftalmologista.

Existem contraindicações?

Alguns casos possuem restrições, dependendo da anatomia do olho e da localização da doença. Por exemplo, certos tipos de glaucoma podem comprometer a elegibilidade da cirurgia. Dessa forma, é importante consultar o oftalmologista para avaliar o quadro e as possibilidades.

Fonte: Renato Klingelfus Pinheiro, doutor em ciências médicas pela FMUSP, chefe do setor de catarata da Santa Casa de São Paulo e especialista em glaucoma pela Santa Casa de São Paulo.