Hipertensão na gravidez: Sintomas, riscos e saiba o que fazer

Gravidez e maternidade Saúde
20 de Agosto, 2021
Hipertensão na gravidez: Sintomas, riscos e saiba o que fazer

A hipertensão é o problema de saúde mais comum entre as grávidas. O aumento da pressão sanguínea pode acometer tanto a mãe, quanto o feto, e não é preciso um histórico do quadro para desenvolver a complicação. As causas de hipertensão na gravidez podem estar relacionadas com uma alimentação desequilibrada ou má formação da placenta. 

Assim, o corpo logo começa a apresentar as mudanças. Ou seha, os índices ficam acima de 140/90 mmHg, e a mulher passa a sentir dores na nuca, dor de cabeça, visão embaçada, dor na barriga e inchaços entre os principais sintomas.

Quando o quadro surge somente após a 20ª semana de gestação, é chamado de hipertensão gestacional. A situação permanece ao longo da gravidez. Mas, tende a sumir até 3 meses após o parto.

A doença pode ser perigosa e até desenvolver a pré-eclâmpsia, uma complicação grave que provoca o aborto caso não seja tratada adequadamente.

Hipertensão na gravidez: Sintomas

  • Inchaço generalizado
  • Pressão arterial superior a 140/90 mmHg;
  • Dores de cabeça constantes
  • Dores fortes na barriga
  • Visão embaçada
  • Dor na nuca
  • Sensibilidade à luz

Leia também: Prisão de ventre na gravidez: Dicas para lidar com o problema

Fatores de risco

Gestantes hipertensas apresentam maior risco de parto prematuro, descolamento da placenta, alterações no fluxo de sangue na placenta e restrição do crescimento fetal. Dessa maneira, as complicações são mais comuns nas mulheres que apresentam quadro grave, caracterizado por níveis de pressão arterial acima de 160/110 mmHg.

  • Menos de 18 ou mais de 35 anos
  • Primeira gravidez
  • Sobrepeso 
  • Gravidez gemelar
  • Histórico familiar de pré-eclâmpsia

Tipos de hipertensão na gravidez

  • Preexistente: mulheres que são hipertensas antes da gravidez continuarão sendo ao longo de toda a gestação. Mas, se os sintomas Se for identificada antes da 20ª semana de gestação, a mulher já sofria com pressão alta e não sabia.
  • Hipertensão gestacional: surge somente depois da 20ª semana e não apresenta perdas de proteínas na urina.
  • Pré-eclâmpsia: quando a hipertensão surge após a 20ª semana de gravidez e está associada à perda de proteínas na urina, ou proteinúria. Assim, está ligada a problemas renais, do fígado, do sistema nervoso central ou queda no número de plaquetas.

Risco de pré-eclâmpsia 

Quando não é tratada, pode evoluir para eclâmpsia e causar convulsões, coma e até morte da mãe e do bebê. Pois, é uma forma de hipertensão muito mais grave. Portanto, toda gestante deve ser cuidadosamente observada e fazer exames de urina com frequência. Mas, nos casos em que não se consegue baixar a pressão arterial, mesmo com os remédios prescritos pelo obstetra, o parto deve ser induzido para evitar o risco de morte de ambos.

Hipertensão na gravidez: Tratamento

A dieta para ajudar a reduzir a pressão alta na gravidez deve ser pobre em sal e rica em ácido fólico, uma forma de evitar o acúmulo de líquidos e aliviar a pressão dentro dos vasos. 

Assim, boa parte dos medicamentos utilizados no tratamento são contraindicados na gravidez, o que torna o controle da pressão mais difícil. Pois, ao menos que seja um caso grave, os médicos preferem não tratar com medicação. Mas, apesar da gestante poder aferir a pressão arterial em casa, a consulta serve como acompanhamento para evitar que a situação se agrave ainda mais. Ou seja, na hipertensão gestacional não-grave, a grávida não precisa ficar de repouso na cama, mas é indicado uma redução nas atividades do dia-a-dia. Por fim, mulheres que desenvolvem hipertensão gestacional grave têm taxas de complicações semelhantes às da pré-eclâmpsia. Assim, devem ser tratadas de forma semelhante.

Leia também: Candidíase na gravidez: Sintomas, tratamento e como evitar

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!