Gastrite por H pylori: sintomas, tratamentos e causas

Saúde
19 de Julho, 2023
Leticia Ramirez Naper de Souza
Revisado por
Nutricionista • CRN-3 63183
Gastrite por H pylori: sintomas, tratamentos e causas

Talvez você já saiba o que é gastrite. Mas e a gastrite por Helicobacter pylori, ou H pylori? Pois é, essa é uma variação possível da condição de saúde. Vamos entender mais sobre ela nos parágrafos abaixo: 

Leia também: Gastrite: o que é, sintomas, tratamentos e causas

Gastrite por Helicobacter pylori

De acordo com o Manual MSD, a infecção pela bactéria H pylori consiste na causa mais comum de gastrite e úlcera péptica em todo o mundo. É importante ressaltar, no entanto, que nem todas as pessoas que contraem o micro-organismo irão desenvolver a condição — a grande maioria, inclusive, não apresenta nenhum tipo de sintoma a vida toda, afirma a Biblioteca Virtual em Saúde, do Ministério da Saúde. 

Contudo, em alguns indivíduos, o H pylori se multiplica na mucosa protetora do estômago e produz amônia, uma substância que o protege do ácido gástrico e permite que ele penetre na camada do órgão. Além do estômago, a bactéria também pode ser encontrada nas fezes, na saliva e nas placas dos dentes. 

A transmissão acontece de pessoa para pessoa (especialmente em locais sem saneamento básico) e por meio do consumo de água e alimentos contaminados. Sem o tratamento adequado, a infecção aumenta o risco de câncer de estômago.

Principais sintomas da gastrite por H pylori

Os sintomas da gastrite por H pylori, quando surgem, são os mesmos da gastrite comum, e incluem: 

  • Indigestão; 
  • Dor ou desconforto na parte superior do abdômen; 
  • Azia; 
  • Perda de apetite; 
  • Náuseas e até vômitos; 
  • Sensação de estufamento. 

Leia também: Bactéria da gastrite é resistente aos três antibióticos mais usados

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com exames (de fezes ou ar exalado), além de uma endoscopia digestiva alta. 

Qual o tratamento? 

O primeiro passo é a mudança do estilo de vida. Então, a gastrite, para melhorar, exige algumas adaptações, como boa mastigação, evitar o excesso de líquidos durante as refeições, comer a cada duas ou três horas e evitar fazer refeições logo antes de dormir. 

“A gente evita a contaminação do H pylori fazendo uma boa higienização de legumes e verduras, evitando trocas de talheres e beber no mesmo copo que outra pessoa, e não pondo a mão suja na boca”, explica. 

Por fim, é possível fazer uma combinação dessas mudanças com o tratamento medicamentoso, que vai aliviar os sintomas da gastrite, tratar a bactéria e evitar que ela evolua para uma condição mais grave, como as úlceras ou o câncer de estômago. 

Leia também: Alimentação para gastrite: o que comer e o que evitar

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Fazer caminhadas
Gravidez e maternidade Saúde

Fazer caminhadas na gravidez diminui risco de precisar de cesárea

Fazer caminhadas regulares na impacta positivamente na saúde da grávida e do bebê e a via de parto, aponta estudo

exames ergométricos
Bem-estar Movimento Saúde

Exames ergométricos: saiba quais são e a indicação de cada um deles

A atividade física é parte do tratamento de diversas doenças. Veja a importância dos exames e para quem são indicados

mulher segurando pílulas de citrato de magnésio na mão
Alimentação Bem-estar Saúde

Magnésio citrato alivia prisão de ventre? Entenda

Magnésio citrato é indicado para o tratamento da constipação aguda, mas nem todo mundo deve consumi-lo. Entenda melhor