Como reduzir consumo de fast food para emagrecer

Alimentação Bem-estar
05 de Junho, 2020
Como reduzir consumo de fast food para emagrecer

Se você aumentou o número de pedidos no fast food durante a quarentena, saiba que esse tipo de comida é um dos grandes vilões do emagrecimento. Por mais que hambúrguer, cachorro quente, batata frita e companhia sejam apetitosos e difíceis de “largar”, essas opções são ricas em calorias, gorduras, açúcares e sal, além de pobres em fibras, vitaminas e minerais essenciais ao bom funcionamento do organismo.

Além disso, o combo hambúrguer, batata frita grande, refrigerante e sobremesa pode facilmente atingir a necessidade diária de calorias, gordura e sódio de um adulto em uma única refeição.

E, já está mais que comprovado que o excesso de calorias e gorduras na alimentação diária está relacionado ao excesso de peso. A obesidade, assim como o consumo excessivo de gordura e sódio, predispõe ao surgimento de doenças cardiovasculares e hipertensão. Por isso, é importante tirar o fast food da rotina e deixá-lo para ocasiões esporádicas. 

Veja algumas atitudes para diminuir o consumo de fast food e saber fazer as melhores escolhas no próximo delivery:

Faça trocas inteligentes

Na maioria das lanchonetes já existe a possibilidade de substituir o sanduíche por uma salada com um grelhado. Não quer abrir mão do lanche? Escolha a menor opção e evite os complementos como queijos, molhos e bacon. Dispense a batata frita. Mas, se não puder pular o acompanhamento, escolha a versão assada. 

Prepare em casa

Bateu aquela vontade de hambúrguer? Antes de correr para o aplicativo de entrega considere preparar uma versão caseira. Ao fazer um hambúrguer em casa você pode caprichar nos ingredientes saudáveis. Procure utilizar carnes magras, pois elas possuem menos gordura. Alguns bons exemplos são: patinho, alcatra, músculo, maminha e filé mignon. E, claro,as carnes brancas. Dê preferência aos cortes sem a pele. Assim, você reduz o teor de gorduras da sua refeição e saboreia um hambúrguer ainda mais saudável.

Pizza

Ao pedir em uma pizzaria, opte pela massa fina e recuse a borda recheada com catupiry ou cheddar. Prefira recheios com vegetais, como rúcula, escarola, berinjela. Queijos, bacon, calabresa e outros alimentos gordurosos devem ser evitados. Mas, fazendo a massa e assando a pizza em casa você pode aproveitar para caprichar em ingredientes mais saudáveis. Uma dica é incluir a farinha integral, linhaça ou até mesmo a chia no preparo. Rica em fibras, a massa integral regula o intestino e auxilia na absorção dos nutrientes. Para o molho, a melhor opção é o caseiro, que possui mais nutrientes e está livre dos conservantes.

Cuidado com os molhos

As receitas preparadas com queijo e maionese são as mais gordurosas e calóricas. Por isso, substitua, então, por opções mais leves, como os de alho, limão ou iogurte. 

Alterne as bebidas

Quem quer ser saudável precisa deixar o refrigerante e o milk-shake de lado. Os refrigerantes zero, light e diet se tornam a primeira opção de muita gente que busca emagrecer e frequenta fast food. Porém, ao contrário do que se pensa, a alternativa à versão tradicional da bebida está longe de ser uma opção menos saudável – e não são poucos os estudos que comprovam essa afirmação. Portanto, dê preferência aos chás, sucos naturais e, claro, água.

Na hora da sobremesa

Evite os sorvetes, tortas ou bolos. A salada de fruta ou a fruta in natura são as melhores escolhas.

Leia também: Como comer hambúrguer sem sair da dieta

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

poke é saudável
Alimentação Bem-estar

Poke é saudável? Veja dicas na hora de consumir

Veja dicas de alimentos que não vão interferir no seu objetivo, seja emagrecer ou ganhar massa magra

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas