Exercícios para quem tem neuropatia diabética são recomendados?

13 de julho, 2022

Quando não há o controle adequado do diabetes, complicações de saúde podem surgir, como a neuropatia diabética. Quem tem essa condição pode ter dificuldades de mobilidade e dor nos membros. Contudo, sabemos que a atividade física é primordial para o controle do diabetes. De olho nisso, como fica a situação em pessoas que possuem essa complicação? Conversamos com especialistas para entender quais são os cuidados necessários e os exercícios para quem tem neuropatia diabética. Confira!

Leia mais: Neuropatia diabética: o que é, sintomas, tratamentos e causas

Afinal, o que é neuropatia diabética?

Para falarmos sobre isso, precisamos entender o que são os nervos periféricos. Você já ouviu falar? Eles são responsáveis por levar as informações do cérebro para o resto do corpo. Ou seja, eles carregam, por exemplo, os estímulos de movimento e também são responsáveis pela sensibilidade do membro. Entretanto, quando esses nervos não funcionam bem, temos a neuropatia. Os sintomas mais comuns são:

  • Dor que surge do nada
  • Queimação ou ardência
  • Sensação de choque, agulhada ou facada
  • Sensação de gelo
  • Formigamentos
  • Alteração na pele, que pode ficar mais grossa
  • Falta de sensibilidade, podendo até mesmo se machucar, mas não perceber

Além disso, dependendo do controle da glicemia, esses sintomas podem evoluir. “O paciente pode apresentar alteração de sensibilidade próprio perceptiva, que é a que nos faz ter noção da posição do nosso corpo em relação ao meio ambiente”, explica a neurologista Nancy Huang. “Com isso, a pessoa pode sentir desequilíbrio e, na fase final, perder força de movimento para andar, por exemplo”.

Pode ou não pode fazer exercício físico?

Pode e os benefícios são variados. De acordo com a neurologista, a prática ajuda a aliviar a dor da neuropatia, como também melhorar o funcionamento neural. “Também ajuda a evitar a progressão da própria complicação”, conta. “A prática não só contribui para um melhor controle da glicemia, como melhora a força muscular, a marcha, o equilíbrio e a fadiga.”

Exercícios para quem tem neuropatia diabética

De acordo com o educador físico Emerson Bisan, a atividade física é bem-vinda para qualquer situação, mas nesses casos é preciso alguns cuidados especiais, principalmente, com o tipo, intensidade e frequência do exercício. “Dependendo da intensidade da neuropatia periférica, deve-se estimular atividades que não sobrecarreguem os membros inferiores”, explica Emerson, que também convive com diabetes tipo 1 há mais de 20 anos.

De olho nisso, o profissional destaca quais são os exercícios mais indicados para quem tem neuropatia diabética. “Recomendamos a natação, a hidroginástica, a bicicleta ergométrica com intensidade adequada e os exercícios com membros superiores”, completa. Além disso, a boa e velha caminhada também é uma opção para essas pessoas. De acordo com o profissional, diversos estudos mostram que as caminhadas melhoram os sintomas, mesmo as de moderada intensidade não levam a um aumento de lesões ou ulcerações em quem tem neuropatia diabética.

Como começar a se exercitar

Antes de iniciar qualquer prática de atividade física, é muito importante passar no médico para checar como está a saúde e obter a recomendação ideal, de acordo com a gravidade da neuropatia diabética. Nancy também destaca que é interessante começar de forma gradual, assim como é a recomendação para qualquer pessoa que está iniciando um exercício. “O ideal é iniciar de forma progressiva, um pouco por dia e todos os dias, para evitar sobrecarregar as articulações”, explica.

Leia mais: Check up médico: quais exames fazer anualmente?

Existe contraindicação?

De acordo com o educador físico, pessoas que já possuem perda de sensibilidade de temperatura, dor ou tato devem ter alguns cuidados extras. “Nesses casos, devemos evitar exercícios que poderiam ser feitos descalços, como atividades em praia, por exemplo.” No entanto, Emerson destaca que tudo pode ser adaptável e ajustado para a inclusão, socialização e incentivo à prática.

Cuidados especiais com o exercício físico

No geral, é importante redobrar a atenção com os pés e pernas antes e após os exercícios. Por conta da perda de sensibilidade, podem surgir bolhas, cortes ou até mesmo um calo, mas sem que a pessoa perceba. “Já em relação aos sapatos, deve-se buscar opções confortáveis, com amortecimento, que não machuquem os pés”, explica Emerson.

Além disso, é recomendado usar meias de algodão confortáveis, secas e, de preferência de cor clara, para identificar rapidamente sangramentos, caso houver. No mais, o paciente deve se sentir confortável e buscar algo que lhe dê prazer. “O mais importante é que eles busquem atividades que se sintam confortáveis respeitando os limites, até onde eles conseguem fazer, sem forçar”, reforça Nancy.

Fontes: Emerson Bisan, educador físico e membro do departamento de Atividade Física, Esportes e Diabetes da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Nancy Huang, médica neurologista pela FMUSP e de estilo de vida pelo International Board of Lifestyle Medicine e pelo Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

Referência: SBD

convivendo com o diabetes
Clique aqui e saiba mais!

Sobre o autor

Beatriz Libonati
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em diabetes e obesidade.