Fazer exercícios, em qualquer intensidade, ajuda na longevidade de pessoas com Parkinson

Bem-estar Movimento Saúde
15 de Dezembro, 2021
Fazer exercícios, em qualquer intensidade, ajuda na longevidade de pessoas com Parkinson

A prática de exercícios físicos está associada a uma maior longevidade em indivíduos com doença de Parkinson, de acordo com estudo conduzido na Coreia do Sul. Ao analisarem os dados de mais de 10 mil pessoas com o diagnóstico, os pesquisadores perceberam que os exercícios – em todas as intensidades – diminuíram a mortalidade por diferentes causas. Assim, os resultados do estudo foram publicados no periódico científico JAMA Neurology.

Para chegar a essa conclusão e determinar como a quantidade e a frequência da prática estariam associadas à taxa de óbitos, os pesquisadores avaliaram as informações de atividade física dos pacientes recém-diagnosticados com Parkinson, e que haviam passado por exames médicos dois anos antes, disponíveis no Sistema Nacional de Saúde do país asiático. Dessa forma, três níveis de intensidade dos exercícios físicos foram observados:

  • Alta (corrida, exercícios aeróbicos, ciclismo e escalada, por mais de 20 minutos);
  • Moderada (andar rápido, pedalar de bicicleta a uma velocidade normal e jogar tênis, por mais de 30 minutos);
  • Leve (caminhar até o trabalho ou por lazer, por mais de 30 minutos).

Leia também: Estimulação transcraniana ameniza dor crônica e sintomas de Parkinson e fibromialgia

Exercícios e Parkinson: Resultados

Foram considerados fisicamente ativos os indivíduos que praticavam atividades de alta intensidade três ou mais vezes por semana, ou de intensidade moderada pelo menos cinco vezes. Nos dados de oito anos, os pesquisadores chegaram a algumas conclusões:

  • As pessoas que já eram fisicamente ativas antes e mantiveram a prática depois do diagnóstico da doença apresentaram uma redução na taxa de mortalidade mais significativa (50%) em todas as intensidades de atividade física;
  • Os participantes que iniciaram a rotina de atividade física apenas depois que o Parkinson foi identificado também tiveram um risco de mortalidade mais baixo do que aqueles que permaneceram sedentários;
  • Para todas as intensidades de exercícios, as pessoas que eram consideradas fisicamente ativas tiveram uma taxa de mortalidade menor em comparação aos inativos.

Além disso, outras variáveis foram avaliadas para compor a análise, como o consumo de bebida alcóolica, dados antropométricos (estatura, peso e pressão arterial), Índice de Massa Corporal (IMC), níveis de colesterol e de triglicerídeos e possíveis comorbidades. Apesar dos achados, os autores do trabalho destacam que outros estudos são necessários.

Leia também: Framboesa: Fruta cheia de benefícios para a dieta

Doença de Parkinson

Doença degenerativa do sistema nervoso central, o Parkinson ocorre pela degeneração de células responsáveis pela produção do neurotransmissor dopamina. Uma vez que a função desta substância é transmitir mensagens entre as células nervosas para a realização de movimentos voluntários do corpo de forma automática, a redução na produção gera o sintoma mais característico da doença: os tremores.

Os motivos que levam à degeneração das células nervosas ainda são desconhecidos. No entanto, presume-se que fatores genéticos ou ambientais possam estar por trás. Por isso, entre os principais sintomas, estão:

  • Tremor de repouso (quando a mão está parada);Lentidão motora;
  • Rigidez entre as articulações;
  • Desequilíbrio;
  • Comprometimento da memória;
  • Diminuição do olfato;
  • Alterações intestinais e no sono.

A doença de Parkinson não tem cura, mas é manejável com medicamentos que repõem em parte a dopamina que não está sendo produzida. Recomenda-se, aliás, a prática regular de atividade física e o acompanhamento por uma equipe multiprofissional formada por fisioterapeuta, fonoaudiólogo, psicológico e nutricionista.

(Fonte: Agência Einstein)

Leia também:

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

mulher de lado tomando um suco verde em um copo
Alimentação Bem-estar

Como comer mais fibras no dia a dia? Dicas simples

O nutriente promove saciedade, melhora o trânsito intestinal, ajuda a evitar picos de açúcar no sangue e diminui a absorção das gorduras. Veja como comer mais

foto mostra diferentes pincéis de maquiagem
Beleza Bem-estar

Pincéis e esponjas de maquiagem podem causar acne e alergias. Como higienizar?

Você já tentou de tudo, mas não consegue se livrar do aparecimento de espinhas? Já tentou lavar seus pincéis e esponjas de maquiagem?