Escorpiões: conheça os riscos da picada e saiba como evitá-los em casa

Bem-estar Casa Saúde
18 de Fevereiro, 2022
Escorpiões: conheça os riscos da picada e saiba como evitá-los em casa

Os escorpiões são aracnídeos que permanecem ativos durante todo o ano, principalmente no verão. É um dos animais peçonhentos mais temidos, já que sua picada pode trazer riscos sérios para a saúde. De acordo com o Ministério da Saúde, foram registrados 149,7 mil acidentes com escorpiões no Brasil apenas em 2020.

Geralmente, os escorpiões não atacam humanos, no entanto, como mecanismos de defesa, ao serem importunados, podem picar seu perturbador. Conheça os riscos e saiba como evitá-los.

Leia mais: Mofo: conheça os perigos para a saúde e saiba como evitá-lo

Os riscos da picada de escorpiões

Os escorpiões adultos podem medir entre 4 e 12 centímetros de comprimento. Durante o dia, geralmente, se escondem embaixo de pedras, tijolos, troncos ou rachaduras em pisos e paredes, por exemplo. Com o ajuda de suas pinças e muitas vezes de seu veneno, caçam e se alimentam de diversos insetos como baratas, além de outros invertebrados e até mesmo pequenos mamíferos.

A picada de um escorpião pode ser dolorosa, porém, raramente é fatal. Isso depende da espécie de escorpião que o atacar. Além disso, quem corre mais riscos são pessoas sensíveis como crianças e idosos. Dessa forma, o animal em si não é agressivo, ataca apenas quando é ameaçado. No mundo todo, aproximadamente 30 espécies de escorpiões de um total de 1.500 produzem veneno tóxico o bastante para ser mortal. No entanto, se houver falta ou demora de atendimento médico, o risco de mortalidade aumenta. Alguns adultos saudáveis não precisam de soro, mas o ideal é sempre procurar atendimento médico, principalmente porque é difícil a identificação da espécie.

Principais sintomas

  • Dor, de leve a intensa
  • Entorpecimento e formigamento na área ao redor da picada
  • Inchaço leve na área ao redor da picada

Sintomas graves

Espécies de escorpiões mais nocivos para a saúde

Os escorpiões mais perigosos que habitam o solo brasileiro são: escorpião amarelo e marrom.

  • Escorpião amarelo: O aracnídeo possui tronco escuro e demais partes amarelas. Seu veneno é perigoso, principalmente para crianças, idosos e pessoas com imunodeficiência.
  • Escorpião marrom: Com cor escura no tórax e castanha nas outras partes do corpo, também possui uma toxina bastante nociva ao homem. É mais encontrado em áreas rurais. Possui hábitos noturnos e se alimenta de pequenos insetos. Não são animais agressivos, atacam apenas quando se sentem ameaçados. O veneno do escorpião marrom age sobre o sistema nervoso da vítima. Apesar de nociva, sua toxina é menos poderosa do que a do escorpião amarelo.

Como prevenir as picadas de escorpiões

  • Evitar caminhar descalço;
  • Não coloque as mãos ou pés em buracos, sob pedras e troncos podres;
  • Confira calçados e roupas antes de se vestir;
  • Não deixe roupas de cama ou lençóis pendurados no chão e sempre chacoalhe antes de usar ou guardar;
  • Manuseie o lixo, lenha ou entulhos com cuidado e preferencialmente com luvas adequadas (luva de raspa).

O que fazer caso ocorra a picada?

Primeiramente, é preciso limpar o local com água e sabão e aplicar compressa morna onde ocorreu a picada. Além disso, também é necessário procurar o serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento imediatamente. Se for possível, capturar o animal e levá-lo também para identificação da espécie, mas a prioridade é o atendimento médico com a maior rápido possível.

E o que não fazer?

  • Torniquete ou garrote;
  • Furar, cortar, queimar ou espremer o local da picada;
  • Sucção no local da ferida. Também não é indicado aplicar qualquer tipo de substância sobre a picada (fezes, álcool, querosene, fumo, ervas, urina, pó de café, terra, por exemplo);
  • Curativos que fechem o local. Essa prática pode favorecer a ocorrência de infecções;
  • Ingerir bebida alcoólica, álcool, querosene, gasolina ou fumo no intuito de tirar a dor. Essas bebidas além de não agirem contra o veneno, ainda podem causar complicações no quadro clínico;
  • Colocar gelo ou água fria no local da picada, pois acentua a dor.

Como prevenir os escorpiões?

Prevenção é o melhor aliado quando se trata desses animais indesejáveis, mas evitar que esses aracnídeos se instalem e desenvolvam não é uma tarefa simples. Confira algumas medidas que podem contribuir:

  • Mantenha jardins e quintais limpos e organizados, além da grama aparada;
  • Evite o acúmulo de entulhos, folhas secas, lixo doméstico e materiais de construção nas proximidades de casa;
  • Use telas em ralos, pias ou tanques;
  • Vede frestas, fendas ou buracos ao longo das paredes e pisos, além de soleiras de portas ou janelas;
  • Preserve seus predadores naturais como aves, lagartos, lagartixas e sapos;

Além das medidas que devem ser tomadas dentro de casa, a vizinhança também deve colaborar. Dessa forma, terrenos baldios, por exemplo, devem ser limpos periodicamente.

Como controlá-los?

Para o controle desses aracnídeos, sempre solicite o serviço de uma empresa profissional de controle de pragas, pois a inspeção e o diagnóstico são pontos cruciais antes de definir a estratégia de controle a ser adotada. Dessa forma, os métodos implementados serão personalizados de acordo com a situação específica do local, podendo muitas vezes adotar o uso de inseticidas profissionais, além de orientar com mais criteriosidade medidas preventivas que devem ser adotadas.

“Os inseticidas são ferramentas fundamentais no manejo dos escorpiões, no entanto, devem ser utilizados com criticidade e exclusivamente por parte de profissionais como instituições ou empresas especializadas. O uso amador dessa ferramenta pode inclusive agravar a situação e aumentar os riscos de acidentes. Sendo assim, a adoção do MIP (Manejo Integrado de Pragas) é de extrema importância para mitigar os problemas relacionados ao escorpionismo”, conclui Jeferson de Andrade, pesquisador da área de Desenvolvimento de Produto e Mercado da BASF.

Fonte: Jeferson de Andrade, pesquisador da área de Desenvolvimento de Produto e Mercado da BASF.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Por quanto tempo tomar glutamina
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar glutamina?

Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

mulher correndo ao ar livre em uma ponte em cima de um rio
Bem-estar Movimento

Quando aumentar a distância na corrida?

Sente que os treinos estão ficando cada vez mais fáceis de completar? Talvez seja a hora de aumentar a distância na corrida. Entenda

Alimentação e hipertensão
Alimentação Bem-estar Saúde

Alimentação e hipertensão: o que priorizar e o que evitar?

O ideal é utilizar temperos naturais, como ervas e especiarias. Veja outras dicas