Escala de Glasgow: Paulinha Abelha está no estágio mais alto do coma

Saúde
23 de Fevereiro, 2022
Escala de Glasgow: Paulinha Abelha está no estágio mais alto do coma

A Escala de Coma de Glasgow é utilizada por médicos para avaliar traumas, problemas neurológicos e o nível de consciência de um paciente. O tema veio à tona depois da cantora Paulinha Abelha, vocalista do grupo Calcinha Preta, ter sido diagnosticada no grau 3 da Escala de Glasgow, considerado o mais alto do coma.

Paulinha, de 43 anos, foi internada para tratar de problemas renais no dia 11 de fevereiro, mas 3 dias depois o quadro se agravou e ela foi transferida para a UTI, além de passar a fazer diálise. De acordo com o boletim médico divulgado recentemente, ela permanece em coma com quadro neurológico grave inalterado, respirando com a ajuda de aparelhos, fazendo hemodiálise e em monitoramento contínuo das disfunções neurológica, renal e hepática.

A equipe médica não descarta a possibilidade de uma intoxicação medicamentosa causada por remédios para emagrecer ser a responsável pelas lesões sofridas pela artista. Até o momento, porém, os exames realizados não comprovam o fato.

Leia mais: Insuficiência renal: causas, sintomas e como tratar

A importância da Escala de Glasgow

A escala de Glasgow foi desenvolvida em 1974, na Universidade de Glasgow, na Escócia. Ela varia do grau 3 a 15, sendo que o mais baixo representa maior gravidade. A escala serve como parâmetro para auxiliar a decisão dos médicos de realizar ou não procedimentos específicos. Dessa forma, o paciente costuma ser intubado quando a escala está abaixo de 9, por exemplo.

A pontuação de 3, que é o caso de Paulinha Abelha, pode significar morte cerebral, mas os médicos precisam avaliar outros parâmetros. De acordo com a equipe médica que cuida da vocalista, negou-se qualquer evidência de morte cerebral e descartou que o quadro de saúde de Paulinha seja irreversível.

O que a escala avalia?

A escala de Glasgow é determinada quando os médicos suspeitam de trauma cranioencefálico, e deve ser feita cerca de seis horas depois do trauma. Para determinar o grau da escala, os médicos observam a reação do paciente a três estímulos: abertura ocular, resposta verbal e resposta motora.

Para cada um desses parâmetros é atribuída uma pontuação de 3 a 15. Perto de 15, o nível de consciência é normal. Os casos de coma estão nas pontuações inferiores a 8.

Embora seja importante na avaliação de pacientes em coma, a Escala de Glasgow apresenta algumas falhas. Não é possível, por exemplo, avaliar a resposta verbal de quem está intubado. Além disso, caso o paciente esteja sedado, a avaliação do nível de consciência é mais difícil.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

dores nos glúteos e problemas na coluna
Saúde

Dores nos glúteos sinalizam problemas na coluna, diz especialista

Pesquisa aponta problemas na coluna como uma das principais causas de afastamento do trabalho

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

10 benefícios da banana que provavelmente você não conhece (mais receitas)

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

perda muscular
Bem-estar Movimento Saúde

Perda muscular compromete a recuperação do paciente  

A sarcopenia, a perda de massa muscular e da força, aumenta o risco de complicações em diversos quadros