Eructação (arroto): o que é, causas e quando buscar ajuda médica

Saúde
15 de Janeiro, 2024
Livia Yume Tanizaki
Revisado por
Nutricionista • CRN-3 45492
Eructação (arroto): o que é, causas e quando buscar ajuda médica

A eructação, ou o famoso arroto, é um mecanismo do nosso corpo que, em circunstâncias saudáveis, ocorre após uma refeição ou ao consumir uma bebida gasosa. Contudo, se a pessoa arrota demais e sente outros desconfortos, é sinal de que precisa de ajuda médica. Saiba mais a seguir.

O que é eructação?

É o nome técnico para o que conhecemos por arroto, que acontece quando os gases do estômago são expelidos pela boca. A resposta do organismo é acompanhada de som característico. “Na prática é a fermentação do alimento no estômago, que gera gases e a pressão para eliminá-los. Como resultado, a pessoa arrota pela boca”, explica Vanessa Prado, cirurgiã do aparelho digestivo.

Por que arrotamos?

Em situações normais, a eructação é perfeitamente normal, pois se trata do processo digestivo. “A princípio, o arroto é mais comum quando mastigamos o alimento de forma inadequada, ou quando há um alto consumo de fontes de carboidratos que tendem a fermentar mais”, esclarece Vanessa.

Por exemplo, é quase certo que iremos arrotar depois de beber um refrigerante, água com gás ou cerveja, pois são bebidas que estimulam a produção de gases pela fermentação. No entanto, o arroto excessivo pode indicar que algo no organismo não vai bem. 

Quando a eructação pode ser um problema?

De acordo com a especialista, arrotar em excesso sem um motivo serve de alerta para procurar um médico. “Em alguns casos, a eructação contínua é sinal de hérnia de hiato. Ou seja, a frouxidão da musculatura ao redor do esôfago, que provoca refluxo e uma saída maior dos gases do interior do estômago.

Outra possível causa pode estar relacionada a alguma disfunção no diafragma”, avalia. Além das duas condições, a eructação repetitiva pode ser indício de intolerâncias alimentares, quando a pessoa não consegue digerir uma substância corretamente (por exemplo, intolerância à lactose) ou de problemas mais graves, como a úlcera e a gastrite.

Buscando ajuda médica

Caso você esteja arrotando além do normal e sem uma razão específica (por exemplo, após comer algo) e estiver sentindo outros incômodos como azia ou dor abdominal, vale procurar o auxílio de um gastroenterologista.

O médico irá avaliar seu histórico, se há outros sintomas além da eructação exacerbada e solicitar alguns exames de imagem, como a endoscopia digestiva. Em geral, esse teste analisa o tubo digestivo e observa se há alguma lesão ou anormalidade no estômago e no esôfago.

Veja também: Diástase abdominal: o que é, sintomas, causas e tratamentos

Tratamento para a eructação

Antes de mais nada, o tratamento será para o problema que está causando o excesso de eructação. Por isso, o diagnóstico é fundamental para que o médico indique o cuidado específico para você. Contudo, de forma geral, algumas dicas podem ajudar a reduzir a quantidade de arrotos, caso isso seja um incômodo:

  • Coma devagar e mastigue bem o alimento: às vezes, na pressa do dia a dia, é comum comermos rápido sem dar atenção à mastigação. No entanto, essa etapa é essencial para facilitar a digestão e evitar não apenas os arrotos, mas outros inconvenientes, como a azia e o excesso de flatulência.
  • Faça as refeições em silêncio: além de ajudar a apreciar a comida, evita a ingestão de ar e a mastigação indevidas.
  • Siga uma dieta equilibrada: o equilíbrio e o consumo moderado de carboidratos reduz o nível de fermentação e, consequentemente, a eructação.
  • Evite dormir depois de comer: muitas pessoas adoram tirar um cochilo depois do almoço, mas fazer isso pode dificultar a digestão e aumentar a produção de gases. Ao invés disso, opte por uma caminhada leve.

Fonte:

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas