Dormir ou fazer exercícios: Como identificar o que o corpo precisa

Bem-estar Sono
13 de Maio, 2021
Dormir ou fazer exercícios: Como identificar o que o corpo precisa

Se você anda se sentindo cansado e sempre fica paralisado no dilema entre dormir ou fazer exercícios, saiba que essa dúvida é comum, especialmente em tempos de pandemia. Seja se dividir entre continuar na cama ou levantar para o treino, ou conseguir deitar mais cedo em vez de enfrentar uma corrida, muitas vezes o cansaço fala mais alto durante essa decisão. Mas, será que está “errado” escolher a cama em vez da academia em algumas situações?

Com o isolamento social e os percalços trazidos por COVID-19 fica mais difícil escolher entre dormir ou fazer exercícios. Além disso, alguns tipos de cansaço só passam com uma boa noite de sono, enquanto outros parecem implorar por uma atividade física para extravasar. Ou seja, esses são os extremos. Mas, são pontos intermediários que tornam a decisão mais complexa.

Dormir ou fazer exercícios: O que diz a ciência 

O sono é importante, ao mesmo tempo que privação do sono faz mal para o organismo. Pois, ela pode levar a um aumento da probabilidade de lesões, comprometimento do sistema imunológico e aumento da suscetibilidade a resfriados.

A Fundação Americana do Sono, por exemplo, afirma que jovens e adultos precisam dormir de 7 a 9 horas por noite. Além disso, o sono afeta o desempenho atlético e cognitivo. Nesse sentido, os cochilos à tarde são ótimos – mesmo os mais curtos.

Entretanto, os dados não podem realmente nos dizer como responder à pergunta específica de dormir ou se exercitar. Isso ocorre em parte porque não há pesquisas sobre se um deve ser priorizado em relação ao outro ou os prós e contras de treinar quando você está cansado ou dormir quando você poderia estar se exercitando. Como, então, é possível descobrir o que o corpo precisa mais em um determinado momento?

Leia também: Sono irregular causa mau humor e pode provocar depressão

Como identificar o que se corpo precisa

A melhor maneira é escutar o corpo e se sintonizar com a necessidade em cada ocasião. Porém, para pessoas mais sedentárias ou que não tenham os exercícios como parte da rotina, geralmente deverá acontecer um esforço físico e mental para se convencer a levantar do sofá. Portanto, preste atenção nos sabotadores internos. 

Por outro lado, quem faz parte do time “meu treino minha vida” deve reconhecer que o corpo precisa de pausa e descanso, por mais que as atividades físicas sejam tão prazerosas. 

Por fim, quer você treine mais ou durma mais, a coisa mais importante e útil a se observar aqui são suas próprias tendências e se ouvir melhor. 

Leia também: Treinar à noite faz mal? Atrapalha o sono? Saiba mais

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina