Dieta rica em açúcar causa mais acne do que tabaco

14 de outubro, 2019

Uma em cada 10 pessoa sofre de acne, tornando esse problema de pele a oitava doença mais comum no mundo, de acordo com pesquisas do Jornal Britânico de Dermatologia. 

Por ser tão comum, existem diversos remédios para tratar este mal. Mas, muito mais do que remediar, novos estudos afirmam que pode haver uma maneira de impedir que esse problema de pele apareça.

Uma pesquisa apresentada no 28º Congresso da EADV (Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia), em Madri, neste mês de outubro, descobriu que maus hábitos alimentares – marcados principalmente pela ingestão de doces e alimentos com alto teor de açúcar – são um dos fatores mais significativos que levam à acne. 

Durante o estudo, os profissionais analisaram dados de 6.700 participantes em seis países da América do Norte, América do Sul e Europa, a fim de determinar quais fatores externos e internos estavam mais associados.

Eles descobriram que 48,2% dos indivíduos que sofrem de acne consumiam produtos lácteos (o que foi estudado anteriormente), 35,6% consumiam sucos ou xaropes de refrigerante, 37% consumiam doces e chocolates e 29,7% consumiam açúcar, todos diariamente. 

Estudos anteriores mostraram que alimentos com um alto índice glicêmico podem desencadear acnes e espinhas; esses novos números apenas destacam ainda mais a relação entre a dieta e a pele profundamente conectadas.

Leia também: Alimentos que garantem uma pele saudável e lisinha

Acne x tabagismo

Os especialistas também analisaram o uso do tabaco, que já havia sido apontado como um potencial gatilho para a acne. E, surpreendentemente, neste estudo, o tabaco não demonstrou ter influência. 

Embora o uso do tabaco resulte em uma variedade de outros problemas de saúde, parece que comer açúcar processado é o principal vilão quando se trata dessa condição específica da pele. 

“A acne é uma das razões mais comuns pelas quais pessoas com problemas de pele entram em contato com um dermatologista”, observa a pesquisadora-chefe da pesquisa, a médica Brigitte Dréno. “Pela primeira vez, um estudo nos permite identificar os fatores externos mais importantes relacionado à acne”.

Como a dieta afeta a pele?

Para entender como a acne se desenvolve, é preciso saber mais sobre o comportamento da pele: sua superfície é coberta por pequenos orifícios, os poros, que se conectam às glândulas sebáceas.

As glândulas sebáceas produzem um líquido oleoso chamado sebo, que é enviado à superfície através de um canal fino chamado folículo. O óleo se livra das células cutâneas mortas, carregando-as pelo folículo até a parte externa da pele. 

A acne ocorre quando os poros se entopem com células mortas, excesso de sebo e, às vezes, bactérias. Durante a puberdade, os hormônios geralmente fazem com que as glândulas sebáceas produzam excesso de óleo, o que aumenta os riscos de acne, mas a verdade é que elas também acontecem na vida adulta. 

Nenhum corpo é igual a outro, e algumas pessoas acham que têm mais ou menos acne quando comem algum nutriente. Sob a supervisão do seu médico, pode ser útil mudar a dieta para ver o que funciona melhor para você.

Certos alimentos, entretanto, aumentam o açúcar no sangue mais rapidamente do que outros. Quando o açúcar no sangue aumenta, o corpo libera um hormônio chamado insulina. O excesso de insulina pode fazer com que as glândulas sebáceas produzam mais óleo, aumentando os riscos de acne.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.