Dentes de leite: o que você precisa saber sobre eles

21 de dezembro, 2021

Você sabia que os dentes de leite começam a ser formados quando o bebê ainda está no ventre da mãe? Sim! Porém, embora esse processo já aconteça a partir do quarto mês de gestação, os decíduos (nome oficial dessa primeira dentição) só costumam aparecer quando o bebê tem cerca de seis meses de idade. 

“No total, são 20 dentes de leite e todos serão trocados por dentes permanentes. Eles recebem esse nome, ‘de leite’, pois apresentam cor branca e são muito importantes para ajudar a criança a mastigar, falar e manter o espaço para os futuros dentes permanentes”, explica Juliana Giraldi, odontopediatra e membro da plataforma Doctoralia.

Leia mais: Sialorreia ou os primeiros dentes do bebê? Saiba diferenciar

Quando os dentes de leite começam a nascer?

Os dentes de leite começam a despontar na boca do bebê de acordo com a seguinte ordem: primeiro, incisivos centrais inferiores e superiores; depois, incisivos laterais (que ficam ao lado dos dentes da frente); a seguir, aparecem os primeiros molares; então, chega a vez dos caninos; e, por fim, os segundos molares. 

“Em torno dos três anos a dentição de leite está completa”, afirma Juliana. Entretanto, vale dizer que essa não é uma ciência exata. “Portanto, os primeiros dentinhos podem nascer antes ou demorar mais do que os seis primeiros meses.” 

Quando começam a cair?

Geralmente, a troca dos dentes de leite pela dentição permanente se dá perto dos seis anos de idade. No entanto, esses dentes, na verdade, começam a se formar ainda no primeiro ano de vida da criança. “São 32 dentes permanentes que vão nascendo e se acomodando na boca conforme acontece também o crescimento facial”, detalha a odontopediatra. 

Dessa forma, esses dentes permanentes são maiores, proporcionais ao tamanho do adulto, característica que ajuda a executar melhor as funções mastigatórias. “Mas nem todos os adultos chegam a ter os 32 dentes. Atualmente, é comum os adultos não terem por não se formarem ou não haver espaço na boca para os terceiros molares permanentes, que são os dentes do siso.”

A ordem cronológica para a troca dos dentes usualmente começa pelos incisivos centrais inferiores. Na sequência, caem os incisivos centrais superiores, depois os incisivos laterais, seguidos dos primeiros molares e caninos. Por fim, a criança perde os segundos molares decíduos. “A dentição permanente costuma estar completa por volta dos 17 anos, com o nascimento dos dentes do siso.”

E se o dente de leite permanente nascer antes do tempo? 

Juliana alega que, para que o dente permanente chegue ao lugar correto, é necessário que o dente de leite já tenha caído. “Caso o dente de leite permaneça na boca, o seu permanente pode nascer fora de posição, causando prejuízos na arcada dentária, como alteração na mordida, perda óssea entre os dentes e retração gengival”, lista. 

Além disso, o permanente pode ainda perder seu potencial de erupção, ou seja, acabar não nascendo, levando a criança/adolescente a tratamentos ortodônticos cirúrgicos, que é o tracionamento do dente através do aparelho ortodôntico.

Quais são os cuidados com os dentes de leite?

Por serem tão essenciais, os dentes de leite demandam tanto cuidado quanto os permanentes. “Dentes de leite mal higienizados podem apresentar inflamações e infecções como tártaro, cárie e problemas no canal”, afirma Juliana. “Tudo isso gera prejuízos dos mais diversos à criança: a dor é limitante; a perda precoce de um dente de leite pode impactar diretamente no crescimento facial; uma infecção pode também afetar o dente permanente”, completa a especialista.

Por isso, é fundamental manter uma rotina de higiene com escovação e uso de fio dental, além de controlar a alimentação, reduzindo a ingestão de açúcar.

Leia mais: A partir de qual idade a criança pode comer açúcar?

Fonte: Juliana Giraldi, odontopediatra e membro da plataforma Doctoralia

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.