Cegueira facial: Brad Pitt revela suspeita do transtorno

23 de junho, 2022

Com um nome inusitado, a cegueira facial é uma condição rara que afeta 2% da população mundial e causa a incapacidade de reconhecer rostos. Recentemente, o ator Brad Pitt revelou que suspeita sofrer do transtorno. Em entrevista à revista norte-americana GQ, ele afirmou que a doença, também chamada de prosopagnosia, pode ser a responsável por problemas de interação social que costuma ter, sobretudo em festas.

De acordo com Pitt, ele luta para se lembrar de novas pessoas, para reconhecer seus rostos, e teme que isso tenha contribuído para sua reputação de distante, inacessível e egocêntrico. O que ele mais quer, no entanto, é se lembrar das pessoas que conhece e tem vergonha de não poder. O ator afirmou ainda que nunca foi diagnosticado oficialmente. Entenda, agora, o que é a cegueira facial.

Leia mais: TDAH: Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade

O que é a cegueira facial?

A cegueira facial é um distúrbio neurológico que interfere no reconhecimento do rosto de pessoas, mesmo que elas sejam próximas. Dessa forma, eles costumam identificá-los por meio de outras características, como o cabelo, as roupas ou a voz, por exemplo.

A doença atinge pessoas de todas idades e pode ser congênita, isto é, a pessoa já nasce com ela. Além da origem genética, a cegueira facial também tem como causa, principalmente, lesões cerebrais resultantes de AVC, tumores, traumas ou infecções, bem como Alzheimer e esquizofrenia. Como consequência, pode dificultar a interação social e até provocar ansiedade e depressão.

Vale reforçar que o transtorno não tem relação com problemas de visão, mas sim com o cérebro, que impede o processamento de informações de traços do rosto e de entender o conjunto como uma identidade. A condição é rara e é considerada um mistério na neurologia.

Quais são os sintomas?

A dificuldade ou incapacidade de reconhecer ou distinguir rostos e, em casos mais graves, o próprio rosto, é a principal característica da cegueira facial. No entanto, outros sintomas também podem surgir:

  • Incapacidade de descrever rostos;
  • Tendência para evitar o contato visual;
  • Dificuldade para reconhecer pessoas que usam uniformes ou roupas iguais;
  • Dificuldade para acompanhar séries ou filmes, já que não é possível reconhecer o rosto dos personagens;
  • Sensação de desorientação em locais com com muitas pessoas;
  • Dificuldade em manter relacionamentos;
  • Medo de ter contato com pessoas.

Como diagnosticar?

O diagnóstico, no entanto, não é simples. Isso porque, muitas vezes, é confundido com problemas de memória. Entretanto, especialistas ressaltam que a prosopagnosia não tem nenhuma relação com a inteligência ou a memória em seu sentido amplo.

Dessa forma, o diagnóstico é feito por um neurologista ou neuropsicólogo. A análise é feita por meio de testes que examinam a capacidade de identificação de rostos familiares, famosos e desconhecidos. Além disso, o médico pode solicitar exames de imagem como ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Desse modo, ele pode verificar alterações na área do cérebro responsável pelo sistema cognitivo visual.

Tratamento da cegueira facial

Embora a cegueira facial não tenha cura, o tratamento auxilia o paciente a desenvolver estratégias para identificar pessoas. Dessa forma, quem apresenta ansiedade ou depressão decorrentes da cegueira facial pode necessitar de ansiolíticos ou antidepressivos. No caso de prosopagnosia causada por danos cerebrais, como AVC e doenças neurológicas, o profissional da saúde deve realizar o tratamento de acordo com o tipo de lesão no cérebro.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde