Carol Borba conta como foi voltar a treinar depois do parto

Bem-estar Gravidez e maternidade Movimento Saúde
04 de Abril, 2023
Carol Borba conta como foi voltar a treinar depois do parto

Carol Borba é uma influencer e personal trainer referência em treinamento funcional no Brasil. Com mais de dois milhões de seguidores no Instagram, ela mostra que a atividade física faz parte de sua vida há muito tempo. Por isso, é claro que ela não deixaria de contar para a Vitat como foi o processo de voltar a treinar depois do parto de sua primeira filha, a Diana! Confira:

Voltar a treinar depois do parto: experiência pessoal

Quando estava em sua 22ª semana de gestação, Carol precisou fazer uma grande pausa em seus treinos. Por conta de uma condição chamada síndrome do útero hiper-reativo (quando o órgão feminino passa a ter contrações mais curtas e intensas), a influencer teve que realizar um repouso relativo até a 32ª semana e, após esse período, fazer um repouso absoluto até o nascimento da bebê — ela também precisou ficar internada por um tempo para contornar a situação.

A luta foi para que a gestação conseguisse avançar e, assim, ela chegasse ao menos até 34 semanas de gravidez. No entanto, a boa notícia é que a treinadora física foi além, e chegou até a 38ª semana gestacional! Dessa forma, ela pôde trilhar o nascimento da pequena normalmente.

Dá até para imaginar a saudade que Carol Borba, que vive da atividade física, estava de seus treinos, não é mesmo? Ela afirma que voltar à ativa foi libertador.

“Para mim, foi maravilhoso. Porque eu vivo de treinar, é meu trabalho. Me sinto muito bem dando aula e praticando junto com minhas alunas. Me senti renovada.”

Leia também: Emagrecer depois da gravidez: Cíntia Dicker dá detalhes sobre o processo

Voltar a treinar depois do parto tem que ser aos poucos

Como era de se esperar, é claro que a personal não retornou com tudo de uma hora para outra. Apesar de os especialistas geralmente recomendarem esperar pelo menos 40 dias para fazer algum exercício, Carol lembra que seu médico permitiu os treinos depois de 30 dias — isso porque ela já praticava há anos.

Mesmo assim, a profissional pegou bem leve no começo. “Eu me recordo que fiz dez agachamentos alguns dias depois de ter tido neném, e esses dez agachamentos me trouxeram tontura e mal-estar. Aí, falei ‘não, preciso ir com calma mesmo’. Então, para quem conseguia fazer agachamento com setenta quilos nas costas, fazer agachamento sem peso nenhum foi muita diferença”, lembra.

Só que Carol Borba resolveu não se frustrar por conta disso. Ela entendeu que todas as transformações pelas quais seu corpo passou durante os meses de gravidez não iriam embora de uma hora para outra — e que algumas ficariam ali para sempre, como uma lembrança física do processo árduo, mas mágico, que é gerar uma nova vida.

“Entendi que era o momento e fui de pouquinho em pouquinho. Meu marido me deu de presente uns pesinhos, porque eu não tinha halteres para treinar em casa. Fiquei muito feliz, porque conseguia fazer treinos de braço enquanto a neném dormia.”

“Então, o segredo é respeitar esse novo momento e não querer treinar como fazia antes de estar grávida. É entender que tudo está meio fora do lugar ainda. Assim, é preciso ir com calma para não se frustrar e não ficar com dores excessivas – que apesar de serem apenas musculares, podem atrapalhar a rotina com o bebê.”

Dicas para as mamães recentes

Carol Borba - voltar a treinar depois do parto

Para finalizar, Carol Borba explica a importância do exercício após a gestação e dá dicas para quem também foi mamãe recentemente. “A mulher que acabou de ter neném está mais sensibilizada. A rotina e o corpo mudaram completamente – tanto na parte física, como emocional e hormonal.”

Barriga mais inchada que demora a voltar ao normal, pele mais flácida, gordurinhas na região do quadril, celulite e estrias. Todas essas mudanças são completamente normais no puerpério, mas podem afetar a autoestima.

Assim, ela explica que a atividade física pode ajudar a estabilizar toda essa montanha-russa de sentimentos, uma vez que libera hormônios que geram a sensação de bem-estar. “Ela vai sentir que está se cuidando, apesar de o corpo não estar necessariamente do jeito que ela gostaria. Somente pelo fato de parar de olhar um pouco para o bebê e olhar um pouquinho para si, ela já vai sentir esse autocuidado.”

Além disso, ela sabe que a rotina com um novo membro em casa é bastante desafiadora — por isso, pode ser realmente mais difícil encontrar um tempinho na agenda para movimentar o corpo. A dica que Carol dá, aqui, é apostar nos treinos em casa.

“Eu sei que o neném está muito dependente da mãe nesse momento. Principalmente da mãe que está amamentando exclusivamente ou em livre demanda. Então a mulher não pode e nem vai querer se ausentar, não é mesmo? Nesse caso, treinar em casa é o que há. Dez minutinhos por dia já são suficientes para que ela comece a ver os benefícios do exercício no dia a dia.”

Leia também: Viih Tube faz “tour” pelo corpo e mostra pele na gravidez

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte