Canetas emagrecedoras: dez verdades sobre o uso

Saúde
04 de Janeiro, 2024
Canetas emagrecedoras: dez verdades sobre o uso

As chamadas canetas emagrecedoras continuam sendo as queridinhas no mercado quando o assunto é perda rápida de peso. Embora sejam medicamentos para o tratamento de diabetes, elas vêm demonstrando cada vez mais eficácia quando utilizadas para redução de peso. Entenda mais sobre como elas funcionam.

Leia mais: Afinal, Mounjaro emagrece mais do que o Ozempic? Especialista explica

O que são as canetas emagrecedoras?

De acordo com a Dra. Elaine Dias JK, endocrinologista, as principais canetas emagrecedoras disponíveis no Brasil são: semaglutida (Ozempic), liraglutida (Victoza e Saxenda) e dulaglutida (Trulicity). No exterior, é possível encontrar, também, a tirzepatide (Mounjaro). Essa última opção foi recentemente aprovada pela ANVISA e deve ter sua comercialização no Brasil em breve.

A médica explica que essas canetas emagrecedoras atuam na região do hipotálamo, isto é, no núcleo arqueado onde se localiza o centro da fome, saciedade e gasto energético basal. Atuam, ainda, no sistema límbico, que influencia o controle da fome. “Mas não há milagre. É preciso um plano de tratamento para obter resultados duradouros”, afirma.

Dez verdades sobre as canetas emagrecedoras

Para esclarecer dúvidas sobre as canetas emagrecedoras, a endocrinologista pontua dez informações importantes sobre o medicamento. São elas:

Resultado rápido

Promove a redução de pelo menos 0,5 kg por semana para um paciente que responde bem ao tratamento. Caso contrário, o ideal é que o médico responsável reveja a estratégia.

São vendidas sem receita médica

Por serem seguras e sem potencial de vício, as canetas não necessitam de prescrição médica. Porém, como em todo tratamento, é importante acompanhamento médico, pois podem causar efeitos colaterais. Além disso, é necessário avaliar a presença de outras doenças que demandam cuidados, como alterações hormonais e metabólicas que não permitem um emagrecimento saudável.

Contraindicação

Antes de mais nada, o Ozempic não deve ser utilizado em alguns casos. Por exemplo, pessoas com histórico de pancreatite, NEM2 (neoplasia endócrina múltipla), histórico de carcinoma medular da tireoide, gravidez e amamentação.

Ultramodernas

O tipo de molécula das canetas emagrecedoras é o futuro para tratamento de diabetes tipo 2 e obesidade. Isso porque é segura e eficaz, bem como um análago de um hormônio produzido no intestino, o GLP1. Existem vários estudos mostrando a eficácia e segurança dessas moléculas. Recentemente, um estudo demonstrou que pacientes obesos, com doença cardíaca, usando semaglutida 2,4mg por semana, reduziram em 20% os eventos cardíacos em comparação com o grupo que estava usando placebo.

Canetas emagrecedoras causam enjoos

A princípio, este é o efeito colateral mais comum. Além disso, pode provocar vômitos, diarreia, constipação, cansaço e desânimo. A orientação e acompanhamento médico podem reduzir os efeitos colaterais.

Melhoram a qualidade de vida

As canetas emagrecedoras ajudam no emagrecimento e controle glicêmico. Dessa forma, melhoram a disposição, cansaço, fadiga, qualidade do sono, autoestima e até depressão.

Reduzem a fome

O principal mecanismo de ação das canetas emagrecedoras é a redução da fome fisiológica e emocional. Isso porque elas possuem ação direta no centro da fome no hipotálamo e no sistema límbico.

As canetas emagrecedoras podem ser usadas continuamente

Vários estudos mostraram eficácia e segurança no uso contínuo das canetas emagrecedoras, sobretudo em pacientes com diabetes tipo 2 e obesidade graus 2 e 3.

Eficácia na fase da menopausa

A menopausa é um período conturbado, tanto hormonal quanto metabolicamente. Porém, ao ajustar todas as alterações, os resultados são excelentes.

Durabilidade no resultado

O medicamento age enquanto está sendo aplicado. Então, para obter melhor resultado, é necessário haver uma mudança no estilo de vida. Por exemplo, ter uma alimentação saudável e restrição calórica, além de atividade física regular, no mínimo 150 minutos por semana e planejamento alimentar. Caso contrário, pode ocorrer o reganho de peso.

Fonte: Dra. Elaine Dias JK, PhD em endocrinologia pela USP e metabologista, especialista em emagrecimento. Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, onde foi professora no curso de USG de Tireoide.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo

Chá de folha de mamão e dengue
Saúde

Chá de folha de mamão e dengue: é falso que bebida combate a doença

Não existem evidências científicas de que a bebida possui propriedades medicinais no tratamento da doença

vitamina B e dengue
Saúde

Vitamina B previne a picada do mosquito da dengue?

Sem comprovação científica, a técnica popular pode levar a população a uma falsa sensação de segurança