Alimentação durante a amamentação: o que comer e o que evitar?

Gravidez e maternidade Saúde
24 de Agosto, 2023
Alimentação durante a amamentação: o que comer e o que evitar?

O Agosto Dourado traz à luz a importância do aleitamento materno. Segundo os principais órgãos de saúde, até os seis meses de vida, o leite humano deve ser a única fonte de alimento. O período de amamentação pode durar até os dois anos de idade. Mas e quanto à alimentação durante a amamentação?

A nutricionista Jaciara Petry, especialista em nutrição integrativa, destaca algumas dicas para se manter saudável durante esse período tão importante para as lactantes. Veja!

Leia mais: Mitos e verdades sobre amamentação: canjica aumenta produção de leite?

A importância da alimentação durante a amamentação

Segundo a nutricionista, quando o assunto é alimentação durante a amamentação, o principal é ter em mente que é preciso se hidratar bem. Isso porque a parte líquida do leite é produzida a partir da hidratação da mãe. Assim, o ideal é consumir alimentos in natura, ou, como destaca a especialista: “comida de verdade”. Além disso, evitar alimentos processados, por mais práticos que sejam.

“O período da amamentação é muito importante tanto para o bebê, quanto para a mãe. Mas, para estar 100% para cuidar do filho, a mulher precisa estar bem. Isso começa pela alimentação. Uma dieta equilibrada com a ingestão de gorduras boas, carboidratos e proteínas vai garantir a nutrição que fará bem ao corpo da mãe e, consequentemente, ao bebê”, afirma Jaciara.

Então, a prioridade é investir no bom arroz com feijão, carnes, frutas e legumes. Em relação aos líquidos, a especialista enfatiza que nenhum substitui a água. Já as bebidas açucaradas, cafés e outros estimulantes devem ser consumidos com moderação.

“A mulher pode desidratar mais do que o normal durante a amamentação, por isso é bom ter sempre uma garrafa de água perto, para lembrar de beber. Ela também gasta mais energia e é normal emagrecer bastante, principalmente, nos primeiros meses. Então, comer regularmente se torna ainda mais importante e é possível comer de tudo – que é saudável -, desde que não cause reação ao bebê. Afinal, tudo chega a ele de certa forma”, destaca a nutricionista.

Outras recomendações

Além dos alimentos processados, a especialista recomenda evitar o leite e derivados, assim como as carnes vermelhas em excesso – frango e peixe estão liberados. Ela desmistifica, ainda, que o consumo de certas bebidas alcoólicas aumenta a produção de leite. “A única forma de garantir a produção de leite para o bebê é se hidratando e se alimentando bem. Em alguns casos, a mãe pode precisar da suplementação de algumas vitaminas e algum outro cuidado específico, que deverá ser recomendado por um médico ou especialista em nutrição”, diz Jaciara.

Para a nutricionista, é essencial que a mulher tenha uma rede de apoio nesse período, principalmente nos primeiros meses. Inclusive para preparar ou ajudar no preparo de suas refeições. A chegada de um bebê, assim como a gestação, traz grandes mudanças na rotina e no corpo da mulher. Ter com quem contar faz toda a diferença.

Descubra seu peso ideal. É grátis! Saiba se seu peso atual e sua meta de peso são saudáveis com Tecnonutri.
cm Ex. 163 kg Ex. 78,6

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

edema articular
Saúde

Edema articular: o que é, causas e tratamentos

O edema, habitualmente, não é uma doença, mas uma das manifestações de uma outra doença

Arritmias cardíacas
Saúde

Arritmias cardíacas: conheça as causas, sintomas e tratamentos

A estratégia de prevenção da doença inclui controle o peso e a prática de atividade física. Saiba mais

Cardiopatia congênita
Gravidez e maternidade Saúde

Cardiopatia congênita: o que é, tipos, sintomas e diagnóstico

Confira os principais tipos e como são feitos os tratamentos