Como era a alimentação da rainha Elizabeth II?

Alimentação Bem-estar
08 de Setembro, 2022
Como era a alimentação da rainha Elizabeth II?

A Rainha Elizabeth II, do Reino Unido, faleceu nesta quinta-feira, 08/09, aos 96 anos, na Escócia. A causa da morte não foi divulgada pelo Palácio de Buckingham, porém, o público foi informado que a monarca morreu pacificamente. Diante da triste notícia, o interesse acerca dos assuntos relacionados à família real cresceu. Como a alimentação da rainha Elizabeth: afinal, qual foi a dieta que a ajudou a garantir a sua longevidade?

Alimentação da rainha Elizabeth: uma taça de gin todos os dias

A primeira característica do cardápio da monarca é que ela não dispensou o consumo de álcool durante boa parte da sua vida. Contudo, vale ressaltar que a ingestão sempre foi moderada: Elizabeth raramente era flagrada ingerindo drinks em público, e tomava apenas uma taça por dia, geralmente um dry martini — bebida que também era a favorita do seu filho, o príncipe Charles, e leva o gin como base. Além disso, ela também gostava de gin com Dubonnet e champanhe.

Leia também: Beber todos os dias, como a rainha Elizabeth, faz mal?

Café da manhã

Em seu livro Eating Royally: Recipes and Remembrances from a Palace Kitchen, Darren McGrady, ex-chef de cozinha da realeza, afirmou que Elizabeth gostava de manter as coisas simples na primeira refeição do dia.

Assim, ela geralmente ingeria uma xícara de chá sem açúcar, alguns biscoitos e uma tigela de cereais.

Alimentação da rainha Elizabeth: almoço

No almoço, seu prato favorito era peixe grelhado com espinafre ou abobrinha. Mas, de vez em quando, apostava em frango grelhado com salada — duas opções pobres em carboidratos e ricas em proteínas, fibras e micronutrientes. Os pratos não podiam ter sabores fortes e muito menos alho, já que a rainha não gostava do ingrediente.

Com menos frequência, ela se dava ao luxo de sair da rotina. McGrady citou em seu livro dois “prazeres” de Elizabeth: camarões com torrada marinados em uma espécie de manteiga secreta; e sanduíche de croque monsieur, com queijo Gruyère derretido, presunto e ovos batidos.

Leia também: Problemas de mobilidade episódicos: afinal, do que sofria a rainha Elizabeth II?

Café da tarde

Como uma boa inglesa, ela sempre tomava uma xícara de chá à tarde, acompanhada de scones (bolinhos típicos da Grã-Bretanha), geleia e creme de leite.

Doces e sobremesas, aliás, eram grandes paixões de Elizabeth. “Ela é absolutamente chocólatra”, disse McGrady à Hello! em 2016. “Qualquer coisa que colocássemos no cardápio que tivesse chocolate, ela escolheria, principalmente torta de chocolate.”

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina