11 vacinas que toda mulher adulta deve tomar

Saúde
09 de Novembro, 2022
11 vacinas que toda mulher adulta deve tomar

Desde que a pandemia de coronavírus explodiu no Brasil, fala-se muito sobre a importância da vacinação. E por mais que a cobertura vacinal para a doença tenha avançado, é fato que, via de regra, esquecemos da importância da imunização depois de adultos. Você sabia, por exemplo, que existem 11 vacinas que toda mulher adulta deve tomar?

Primeiramente, vale destacar que o calendário vacinal define alguns dos nossos principais marcos na infância. No caso das mulheres, costumamos pensar em vacinação novamente apenas quando engravidamos ou na velhice, para evitar complicações derivadas de uma gripe, por exemplo.

De acordo com a Dra. Aline Scarabelli, consultora médica e infectologista do Labi Exames, “ao nos vacinarmos, fortalecemos as defesas naturais do nosso corpo, o que impede quadros graves de diversas doenças. É uma forma segura e inteligente de permanecermos saudáveis e fortes.”

Leia mais: Vacinas para adultos: afinal, quais não podem faltar na carteira?

11 vacinas que mulheres adultas devem tomar

Acredite, a lista é longa e tem como base a carteira de vacinação da infância. Conversar com um médico para tirar dúvidas e confirmar a necessidade de imunização é sempre importante. Mas, no geral, as mulheres devem ficar atenta às 11 vacinas abaixo, de acordo com a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm):

1.Hepatite A e B: para adultos com a vacinação incompleta na infância; que não sabem se receberam o imunizante; ou que já tiveram a doença.

2.Febre amarela: a vacinação de reforço é recomendada para o caso de pessoas que morem em regiões de risco ou que vão viajar para essas áreas.

3.Gripe: todos devem tomar a vacina da gripe anualmente, principalmente, no inverno.

4. Herpes Zóster: existem dois imunizantes disponíveis, indicados a partir dos 50 anos de idade.

5.HPV Quadrivalente: protege, principalmente, contra o câncer de útero. Pode ser administrada pelo Sistema Único de Saúde na infância e em laboratórios particulares na vida adulta.

6.Meningocócica B: são recomendadas duas doses com intervalo de um mês.

7.Meningocócica ACWY: protege contra a meningite e funciona no esquema de dose única.

8.Pneumocócicas (VPC13 e VPP23): depende da recomendação médica para mulheres adultas, mas deve ser de rotina para pessoas acima de 60 anos ou portadores de algumas comorbidades.

9.Tríplice Bacteriana Acelular: protege contra difteria, tétano e coqueluche. É necessário tomá-la a cada 10 anos (pode ser necessária a combinação com a vacina da rede pública (dT) em esquemas vacinais incompletos).

10.Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola): indivíduos não vacinados ou que não têm o comprovante de vacinação deverão atualizar a imunização.

11.Varicela (catapora): em adultos, a vacina é para aqueles suscetíveis à doença. Assim, a imunização deve ser feita em duas doses com intervalo de um a dois meses entre elas.

Vacinação na gravidez

Por fim, falando especificamente sobre o período gestacional, é importante lembrar que o sistema imunológico da mulher fica enfraquecido por conta das alterações hormonais e das mudanças que acontecem no corpo da mulher.

Por isso, manter a carteirinha de vacinação em dia nesse período é essencial para garantir a saúde da mãe e do bebê, uma vez que os anticorpos desenvolvidos pela mulher nessa fase passam para a criança via placenta e cordão umbilical. Como consequência da vacinação, houve um resultado incrível para a saúde no Brasil: a eliminação do tétano neonatal e materno.

Dessa forma, a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) recomenda que as gestantes tomem as seguintes vacinas durante a gravidez:

  • Gripe;
  • Tríplice Bacteriana Acelular (dTpa);
  • Hepatite B.

“Em situações específicas, como epidemias ou quando a mulher apresenta algumas doenças crônicas, por exemplo, outras vacinas podem ser recomendadas”, explica a Dra. Aline. “Nesses casos, é necessária uma criteriosa avaliação médica para que o imunizante correto seja indicado.”

Fonte: Dra. Aline Scarabelli, consultora médica e infectologista do Labi Exames.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Ozempic e anticoncepcional
Saúde

Ozempic pode cortar o efeito do anticoncepcional? Médica explica

Nas redes sociais, não faltam relatos sobre o efeito do Ozempic no aumento da fertilidade

Chá de erva baleeira
Alimentação Bem-estar Saúde

Chá de erva baleeira emagrece? Veja benefícios e como fazer

A erva é eficaz em tratamentos de reumatismo, gota, dores musculares e até úlceras; saiba mais

mulher sentada na mesa da cozinha com remédios para gripe na sua frente
Saúde

Queda na temperatura exige cuidados com a saúde. Confira

Neste fim de semana, o frio vai estar presente em diversas capitais. Queda na temperatura pede alguns cuidados com a saúde respiratória