Vômito após o medicamento: saiba como agir com as crianças

Gravidez e maternidade Saúde
18 de Abril, 2023
Vômito após o medicamento: saiba como agir com as crianças

Seja pelo gosto amargo, pela textura ou pelo tamanho, alguns remédios podem causar ânsia de vômito nas crianças. Em outros casos, a ânsia pode ser provocada pelo próprio sintoma da doença que está sendo tratada. Nessas situações, muitos pais podem ter dúvidas sobre o que fazer quando as crianças vomitam após o medicamento. Como administrar as próximas doses após esse acontecimento? Confira a seguir. 

Veja também: Alimentos não indicados para bebês até 1 ano de vida

O que fazer quando a criança vomita após o medicamento?

Ao administrar uma medicação para o seu filho, é importante ficar atento a reação dele nos minutos seguintes. Se a medicação aconteceu cerca de 30 minutos antes do vômito, não é necessário reaplicar a dose do remédio, já que houve tempo suficiente para a absorção da mesma.

Contudo, se o vômito for imediato, o correto é considerar a dose como não absorvida. “Neste caso, embora cada medicação tenha uma regra e deva ser avaliada de acordo com a bula do medicamento, é importante considerar que a dose não foi absorvida pela mucosa da criança. Portanto, você deverá tentar mais uma dose, sempre consultando o pediatra antes, quando possível. Se o vômito persistir, é importante levar a criança a uma emergência médica”, aconselha o pediatra Dr. Leonardo Soares.

Causa do vômito

Além disso, é importante diferenciar a causa dos vômitos. “Por exemplo, quando a criança vomita devido ao sabor direto do remédio ou por crises de tosse, é diferente de quando o vômito tem relação com alguma doença gastrointestinal”, afirma o médico. 

No primeiro caso, o importante é evitar a ânsia de vômito através de medidas não farmacológicas, como não deixar a criança ansiosa com o ato de tomar um remédio, realizar o uso da medicação próximo a algum sabor que a criança aprecie e fazer o uso da medicação antes das refeições. Além disso, existem medicações que podem ser misturadas a sucos, sem prejudicar a função do remédio.

Já quando o motivo do vômito é relacionado à doença gastrointestinal, é importante utilizar remédios antieméticos, que são usados para prevenir a ânsia e podem ser sublinguais, ou seja, são rapidamente absorvidos pela corrente sanguínea ainda na boca (derretem e são absorvidos localmente), tendo vantagens em relação aqueles que precisam ser deglutidos. Contudo, antes de sair procurando medicamentos como este, consulte um médico e só inicie a medicação após prescrição médica. 

Vômito após o medicamento: Dicas para administrar remédios para crianças

Segundo a pediatra, Dra. Tatiana Mota, da Clinica Mantelli, naturalmente, temos o hábito de pensar em diluir a medicação em leite ou outros alimentos. Porém, essa conduta não é recomendada. “Alguns fármacos podem ter interação alimentar, podendo interferir na sua efetividade, e além disso, a criança pode acabar associando o uso de medicação aos alimentos, podendo passar a recusá-los por conta disso”, afirma.

Por isso, as medicações devem ser oferecidas sem nenhuma diluição. Apenas em casos de extrema necessidade, a diluição deve ser feita utilizando apenas em água. Para evitar o vômito após o medicamento, os pais podem aplicar algumas técnicas, de acordo com os especialistas ouvidos pela Vitat. Veja quais são:

  • Não oferecer a medicação após uma refeição grande;
  • Não dar o medicamento quando o paciente estiver com crises de tosse ou excessivamente cansado. Nesses casos é importante procurar a emergência mais próxima;
  • Não gerar ansiedade antes de dar algum remédio. O ideal é agir com naturalidade;
  • Associar o remédio a uma sensação boa, de melhora e de frescor. Além disso, parabenize a criança quando ela tomar o remédio;
  • Alguns pais ameaçam com coisas como: “se não fizer isso, vai tomar remédio”, associando que a ideia de tomar remédio é algo punitivo. Isso gera medo na criança, portanto, evite;
  • Conversar com o pediatra sobre a possibilidade de pré-medicar com antiemético sublingual de absorção direta.
  • Prefira sempre a posição vertical para medicar: em pé ou sentado. No caso de bebês, é indicado uma inclinação de pelo menos, 45 graus.
  • Faça uso de seringas, e utilizá-las no canto da boca. Elas ajudam na ingestão mais rápida e precisa da dose.

Vômito após o medicamento: outras dicas

Além disso, para atenuar o gosto amargo de alguns medicamentos, o Dr. Leonardo indica;

  • Fracionar a dose do remédio: oferecer a dose à criança aos poucos é uma boa alternativa para evitar o vômito após o medicamento, já que quantidades menores do remédio dificilmente geram ânsia. Essa não tem contraindicações, contudo, lembre-se de esperar pelo menos 5 minutos entre uma dose e outra. 
  • Diluir o remédio: por fim, alguns medicamentos também podem ser diluídos em bebidas como suco, o que facilitará a ingestão pela criança. Contudo, vale lembrar que existem medicamentos que não podem ser diluídos, nesses casos, a informação constará na bula do remédio. Geralmente, a instrução vem detalhada como: “não misturar com outros alimentos”. 

Fonte:

Dr. Leonardo Soares, pediatra do Grupo Prontobaby.

Dra. Tatiana Mota, pediatra da Clinica Mantelli.

Sobre o autor

Tayna Farias
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em gravidez e maternidade

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas