Volta às aulas presenciais: Como preparar as crianças para o retorno com segurança

Bem-estar Equilíbrio Saúde
05 de Agosto, 2021
Volta às aulas presenciais: Como preparar as crianças para o retorno com segurança

Um momento muito esperado para as crianças já é uma realidade no Brasil: a volta às aulas presenciais. E embora a expectativa seja grande por parte dos pequenos, é muito importante instruí-los adequadamente a respeito das medidas de higiene que devem ser tomadas, justamente para evitar a disseminação do coronavírus entre estudantes e funcionários.

O sanitarista Sérgio Zanetta, professor de Saúde Pública e Epidemiologia do Centro Universitário São Camilo, descreve a volta às aulas presenciais como uma necessidade que deve ser adequada à realidade de cada instituição de ensino. “Um estudo recente, publicado na revista Science, indica que essas medidas não-farmacológicas são efetivas para impedir não somente a transmissão de Covid dentro das escolas. Mas também a contaminação de familiares e profissionais”, explica.

Leia também: Hábitos de higiene e segurança que precisamos manter mesmo após a vacina

Quais cuidados as crianças e os funcionários devem tomar na volta às aulas presenciais?

A primeira regra prevê o uso constante de pelo menos uma máscara, de preferência, com melhor qualidade de filtração. “Se possível, deve ser utilizada uma máscara cirúrgica e outra de tecido por cima, ou então a N-95 ou a PFF2. Isso porque a principal forma de transmissão da Covid-19 é por vias respiratórias”, diz o especialista.

A segunda dica é estabelecer o distanciamento de um metro entre os alunos. Esse espaço deve ser mantido também entre mesas e carteiras, e o ambiente deve ser bem ventilado. Por fim, continua sendo recomendada a frequente higienização das mãos, seja com água e sabão ou com álcool em gel. “Feito isso, a escola se torna um ambiente seguro. Em seguida, surge a necessidade de se proteger da transmissão comunitária”, lembra Sérgio Zanetta.

De acordo com o profissional, no momento da entrada de qualquer aluno, professor ou funcionário, o mesmo deve informar se apresenta algum sintoma de gripe ou Covid-19. Ou, então, se mora com alguém com a doença. “Em caso positivo, a pessoa deve automaticamente retornar para casa e ficar 14 dias em isolamento.”

Preparação emocional e psicológica para a volta às aulas presenciais

Contudo, não basta apenas cuidar da saúde física dos pequenos. É preciso prepará-los emocionalmente para esse retorno, uma vez que os dois últimos anos trouxeram diversas mudanças para eles. Os educadores, por exemplo, devem estar atentos a possíveis sinais comportamentais dos estudantes no momento de readaptação ao ambiente escolar.

Segundo a professora Glaucia Benute Guerra, coordenadora do curso de Psicologia do Centro Universitário São Camilo, é necessário saber identificar sinais de ansiedade, que têm aumentado muito entre o público mais novo. “Isso pode se manifestar na forma de medo e grande preocupação com a retomada das atividades. Portanto, pode ser necessária a readaptação da criança”, aconselha.

“Foi difícil se afastar da escola, mas também é muito difícil retornar agora. Afinal, foi um tempo considerável, em que as crianças desenvolveram outra rotina. O acolhimento, a segurança e a sensação de pertencimento entre os alunos são fatores que auxiliarão bastante na saúde mental de todos eles”, afirma a coordenadora.

Leia também: Síndrome da gaiola: O medo de voltar à escola

Dica para uma volta às aulas presenciais mais tranquila

A psicóloga Camila Cury, fundadora da Escola da Inteligência, dá alguns conselhos aos pais e educadores:

Sugira uma saudação diferenciada

Abraços e beijos, infelizmente, estão proibidos. Mas que tal trocá-los por uma saudação diferenciada? Uma reverência com uma música, por exemplo. Isso estimula o lado artístico na volta às aulas presenciais.

Converse com as crianças sobre suas expectativas

Uma sugestão é fazer uma dinâmica com os alunos para compreender como se sentem: dobre uma folha ao meio. De um lado, na parte superior, peça para os alunos escreverem a pergunta: como será a volta às aulas presenciais? E do outro lado: como eu gostaria que fosse?

Após a escrita ou o desenho, todos podem refletir e dialogar sobre as expectativas e as realidades que poderão encontrar no retorno.

Ajude a criança com a nova rotina

Em casa ou na escola, envolva as crianças e os adolescentes no planejamento da nova rotina. Assim, será possível ganhar a confiança deles e desenvolver suas autonomias. Ainda, conhecendo as atividades e os horários, os estudantes ficam menos ansiosos e mais cooperativos.

Lide com o luto de forma empática

Muitos pequenos e profissionais perderam familiares e amigos para a Covid-19. Diante do momento de luto e de sofrimento, é importante que a escola seja esse ambiente de acolhimento e empatia. “Que seja um espaço com atividades que propiciem a escuta mútua, como rodas de conversa e produção de textos, desenhos ou outras formas de expressar e validar os sentimentos”, aconselha a psicóloga.

Leia também: Casos de ansiedade e depressão aumentam entre jovens na pandemia

Fontes: Sérgio Zanetta, sanitarista e professor de Saúde Pública e Epidemiologia do Centro Universitário São Camilo; Glaucia Benute Guerra, coordenadora do curso de Psicologia do Centro Universitário São Camilo; e Camila Cury, psicóloga e fundadora da Escola da Inteligência.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia