Uso recorrente de videogame pode elevar o risco de perda auditiva

Saúde
26 de Fevereiro, 2024
Uso recorrente de videogame pode elevar o risco de perda auditiva

O uso recorrente de videogame pode aumentar o risco de perda auditiva ou desenvolver zumbido, mostra uma nova revisão de estudos conduzida por cientistas da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com os pesquisadores, isso ocorre porque as pessoas costumam passar muitas horas expostas a sons acima do que é recomendado. Entenda.

Leia mais: Trombose em jovens: jogar videogame sem pausa aumenta o risco

Uso recorrente de videogame: prejuízos para a saúde

O uso recorrente, ou mesmo único, de sons de alta intensidade pode causar lesões nas células ciliadas da orelha interna. Além disso, danificar o sistema auditivo a longo prazo, causando zumbido, excesso de sensibilidade e até dificuldade de compreensão.

“As células da orelha interna que sofrem com o ruído elevado são neurônios. Elas podem ter um tempo de recuperação, mas, quando se estimula o ouvido com sons muito intensos, uma parte deles pode morrer. Assim, aos poucos, o indivíduo vai perdendo aquela população de neurônios, que é finita”, explica Pedro Magliarelli, otorrinolaringologista do Hospital Israelita Albert Einstein. “Aqueles que morrem não se regeneram e, por isso, a lesão auditiva é irreversível.”

Os jovens têm maior reserva de neurônios e, por isso, levam mais tempo para perceber os efeitos lesivos do ruído. Segundo Magliarelli, o problema é que, quando o ouvido passa por um som intenso, no início sentimos desconforto. Então, aos poucos vamos nos acostumando e perdemos o parâmetro, dando a impressão de que o som não está tão elevado assim. “Os efeitos são cumulativos e serão notados muitos anos depois”, explica o médico.

Segundo os autores do estudo, há pouca informação sobre o impacto dos games na saúde auditiva. Para isso, eles fizeram uma grande revisão de estudos, reunindo artigos que totalizaram mais de 55 mil pessoas. Os dados mostraram que os usuários costumam jogar, em média, três horas semanais com o volume quase no limite ou excedendo a exposição segura.

“O resultado é altamente relevante e o foco desse trabalho traz uma nova perspectiva de exposição prejudicial, que é pouco explorada e conhecida e, por isso, subestimada”, diz o especialista.

Resultados do estudo

O uso do videogame durante longos períodos com um volume elevado pode ser um fator de risco modificável para prevenir a perda auditiva e, segundo os autores, é preciso priorizar as iniciativas de educação e conscientização nesse sentido.  Além disso, conforme o estudo, pode haver muitos casos de perda auditiva oculta, ou seja, que aparece na audiometria (o exame que faz a avaliação da capacidade de audição).

“É difícil pensar que seu filho adolescente, em silêncio no quarto, pode estar ouvindo o som de um jogo em níveis elevados. Se considerarmos que uma pessoa joga pelo menos uma hora ou mais por dia usando fones de ouvido, é de esperar que o som esteja lesionando as células. Com o tempo, os sintomas podem aparecer”, explica o médico.

Afinal, qual o volume seguro?

Segundo a OMS, sons acima de 75 decibéis podem provocar danos se houver uma exposição prolongada e rotineira. Para níveis de 85 dB, o limite são oito horas diárias. Esse valor equivale a entre 60 e 70% da capacidade dos fones de ouvido em geral – o volume máximo da maioria desses equipamentos fica em torno de 105 a 110 dB. Muitos aparelhos permitem ajustar para níveis seguros.

Para cada aumento de 3 dB, o limite cai pela metade. Assim, o tempo máximo diário de exposição a 100 dB é de apenas 15 minutos.
Ao usar uma fonte aberta, como alto-falante, o som se dissipa pelo ambiente e a intensidade nem sempre é a mesma, dependendo das condições e da distância.
Sons acima de 120 dB, como a turbina de um avião, causam dor no ouvido e são altamente lesivos.

Fonte: Agência Einstein.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma