Surto de hepatite infantil pode ser causada por vírus comum

27 de julho, 2022

Após o recente surto de hepatite infantil em 35 países sem causa definida, parece que a ciência descobriu um possível agente da infecção. Estudos da Universidade de Glasgow e do Great Ormond Street Hospital em Londres observaram que o motivo do aumento repentino pode ser um vírus infantil comum, o adenovírus.

Na maioria dos casos do levantamento, os cientistas mapearam uma alta carga viral, sobretudo nos pacientes com complicações mais severas. Apesar das evidências, as pesquisas ainda estão sujeitas à revisão de outros cientistas para validar o achado. Inclusive, não há informações se o vírus encontrado nas crianças pertencia a um infecção anterior ou uma causa própria.

Veja também: Hepatite desconhecida em crianças: o que se sabe até agora

Covid-19 foi suspeita do surto de hepatite infantil

De acordo com a OMS, o surto de hepatite infantil tem mais de 1 mil casos e 22 óbitos, o levou um dos estudos a considerar possibilidade da infecção por Covid-19 ser responsável pelos casos idiopáticos (sem diagnóstico conclusivo). Contudo, descartaram a hipótese por causa da baixa predominância do vírus entre os pacientes analisados — apenas 2 de 36 crianças testaram positivo para o vírus.

“Além disso, a positividade do anticorpo SARS-CoV-2 em casos de hepatite estava dentro das taxas de positividade da comunidade naquele momento, em crianças que se apresentaram aos departamentos de emergência entre janeiro e junho de 2022. No entanto, não é possível excluir totalmente um fenômeno relacionado ao pós-covid-19 em crianças suscetíveis”, pondera o estudo.

Causas da hepatite

Além das hepatites virais A, B, C, D e E, outros agentes podem provocar a doença. Por exemplo, herpes simplex, Epstein-Barr, citomegalovírus, enterovírus, dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Embora sejam mais raras, infecções bacterianas podem atingir o fígado e comprometer as funções do órgão. Por fim, doenças autoimunes, vasculares e congênitas (adquiridas durante a formação do bebê na gravidez) e intoxicações por medicamentos também desencadeiam o quadro de hepatite aguda.

Situação no Brasil

Até o momento, seis casos são “inconclusivos”: três precisaram de transplante e uma criança morreu. Um outro caso é tratado como provável, segundo informe divulgado pelo Ministério da Saúdee em 14 de julho. Ao todo, 44 casos seguem em análise como “suspeitos”.

Fonte: Agência Brasil.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.