Serotonina: o que é, para que serve, como age no corpo e mais

Saúde
31 de Julho, 2023
Serotonina: o que é, para que serve, como age no corpo e mais

Provavelmente você já ouviu falar sobre serotonina, que possui funções interessantes no nosso organismo. Sabia que ela pode ser responsável pelo nosso humor e até pela nossa relação com a comida? Neste artigo, explicamos o que é a serotonina e sua importância no equilíbrio do organismo e das emoções.

Veja também: Como estimular os hormônios da felicidade?

O que é a serotonina?

Embora seja conhecida como o “hormônio da felicidade”, a serotonina não é um hormônio, mas um neurotransmissor. Ou seja, atua como mensageira dos neurônios contendo respostas distintas a ações do organismo. Por exemplo, ao comer algo gostoso, a serotonina envia um estímulo de satisfação ao sabor do alimento.

Para que serve a serotonina?

A serotonina trabalha sozinha, mas também em conjunto com outros neurotransmissores: dopamina, ocitocina e endorfina, que despertam sensações positivas no nosso corpo. Aqui, falaremos do propósito da serotonina de forma ampla.

A principal função da substância é assegurar o equilíbrio de alguns comportamentos, estados emocionais e demandas fisiológicas. São eles:

Humor: quando estamos felizes e bem dispostos mesmo sem nenhum acontecimento específico, é sinal de que o corpo está produzindo uma boa quantidade de serotonina.

Ansiedade e apetite: o neurotransmissor é um excelente regulador da ansiedade que, sob controle, impacta na saciedade. Nesses casos, a serotonina atua com outros hormônios para viabilizar esse equilíbrio.

Sono: em conjunto com a melatonina, hormônio que comanda o sono do nosso organismo, a serotonina ajuda a melhorar a qualidade do descanso, trazendo a sensação de energia e disposição ao despertar.

O neurotransmissor é tão influente que ainda integra o bom funcionamento cognitivo. Portanto, níveis equilibrados de serotonina colaboram para o processo de aprendizagem, atenção, raciocínio e memorização. Por fim, ela participa da regulação da temperatura corporal, da libido e até do ritmo dos batimentos cardíacos.

Sinais de que você pode estar com baixa serotonina

A queda de serotonina pode acontecer por inúmeras razões. Uma delas é a depressão, que inibe a produção e a ação do neurotransmissor, ocorrendo uma espécie de “falha de comunicação” no sistema nervoso. Por isso que os sintomas do transtorno são tristeza, apatia e falta de disposição.

Geralmente, a deficiência de serotonina causa os seguintes efeitos:

  • Falta de interesse em atividades anteriormente prazerosas.
  • Problemas para dormir.
  • Instabilidade no humor, com tendência à tristeza e pensamentos negativos.
  • Aumento do ostracismo, que diminui a vontade de socializar com outras pessoas.

Causas da deficiência da produção e da função do neurotransmissor

É importante ressaltar que nem sempre o indivíduo apresenta baixos níveis de serotonina por causa da depressão. Às vezes, a redução ocorre por outras razões, mas as alterações comportamentais resultam no quadro depressivo.

O estilo de vida gera um grande impacto na produção de serotonina: má alimentação, falta de sono, de exercícios físicos e altas cargas de estresse na rotina colaboram não só para o desequilíbrio da serotonina, mas de outros neurotransmissores e hormônios.

O ambiente também é capaz de afetar o declínio da substância. Estações mais frias e menos ensolaradas, como o outono e o inverno, podem desencadear o transtorno afetivo sazonal, que promove o aumento da tristeza nessa época.

É possível aumentar os níveis de serotonina sem remédios?

Por ser um neurotransmissor que corresponde ao bem-estar, fazer atividades prazerosas é a melhor forma de estimulá-lo. A mais eficiente é a prática de exercícios físicos. O movimento incentiva a produção de triptofano, aminoácido que compõe a produção de serotonina pelo corpo.

Sem falar que o treino frequente gerencia os níveis de estresse e ansiedade, colaborando com a ação dos neurotransmissores. Por isso que muitos especialistas recomendam modalidades relaxantes para essa finalidade, como yoga e meditação.

Outros meios de ajustar os índices de serotonina envolvem a adoção de bons hábitos em geral:

  • Exposição diária ao sol.
  • Alimentação saudável e rica em proteínas e triptofano.
  • Dormir e acordar no mesmo horário.
  • Ter convívio de qualidade com familiares e amigos.

O excesso que pode fazer mal

Ao contrário do que muita gente pensa, as altas quantidades de serotonina podem comprometer a saúde. O quadro, chamado síndrome da serotonina, acontece quando o indivíduo consome antidepressivos, estimulantes e drogas em doses muito altas.

Como resultado, ocorre uma comunicação exacerbada entre dois neurônios (sinapse), que gera um conjunto de reações no organismo. Arritmia, hiperatividade, sudorese, espasmos e confusão mental são algumas das consequências da condição, que exige atendimento médico.

Referências: Cleveland Clinic; Harvard Health Publishing; e Einstein.

 

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas