Saúde bucal na gestação: veja cuidados importantes

Quem já é mamãe ou está esperando seu primeiro bebê, sabe que as mudanças no corpo e nas emoções ficam intensas a cada trimestre. Entre tantas transformações, responsabilidades e cuidados com o corpo, é importante dar atenção um ponto específico: a saúde bucal na gestação.

Veja também: Como a saúde bucal influencia na saúde emocional

Por que a saúde da nossa boca muda na gravidez?

A princípio, as alterações hormonais, arteriais e gastrointestinais podem influenciar tanto a saúde geral como a da boca, que afetam as gengivas e os dentes. Outra razão para as mudanças na saúde bucal na gestação é o aumento da ingestão de calorias e da frequência das refeições. Com isso, o fluxo e a composição da saliva mudam, e há mais chances de se ter placa bacteriana.

Principalmente no primeiro trimestre, quando muitas mulheres sentem mais náuseas e sofrem com vômitos. Neste último caso, há a exposição da boca a um ambiente ácido por causa do suco gástrico. Isso pode levar a alterações na gengiva, com maior possibilidade de gengivite e cáries, além de descalcificação no esmalte do dente.

Como manter a saúde bucal na gestação?

A principal recomendação para as futuras mamães é redobrar os cuidados com a boca e ficar de olho em quaisquer mudanças. Dessa forma, é essencial manter uma rotina de higienização bastante cuidadosa, com escovação e uso de fio dental após comer algo. Mas o que mais pode ser feito para proteger a saúde bucal na gestação?

Escolha a escova de dentes ideal

Ter uma escova macia, de múltiplas cerdas e com o tamanho certo são alguns requisitos para uma higiene eficaz. Se você usa aparelho dentário fixo, saiba que é preciso ter uma escova que ajude na limpeza para evitar a formação de tártaros e placas. Veja aqui algumas dicas para escolher a melhor escova para suas necessidades.

Use a técnica correta de escovação

Além da escova de dentes, a forma de limpeza faz toda a diferença na higiene. Portanto, evite movimentos fortes e bruscos, pois podem machucar e inflamar a gengiva. A sugestão é realizar gestos circulares e leves que explorem toda a região dentária e da gengiva. Por fim, utilize o fio dental, cuja frequência de uso deve ser diária e em todas as refeições.

Reveja a sua alimentação

Às vezes, as futuras mães ficam ansiosas e compensam as emoções em docinhos e outras comfort foods. Contudo, alimentos com muito açúcar, conservantes e ácidos não mudam apenas o peso corporal. Essas substâncias deixam os dentes mais frágeis, principalmente se a higiene não for realizada logo após a refeição. Assim, diminua o consumo desse tipo de alimento e busque uma alimentação com bastante frutas, verduras e alimentos integrais.

Cuide das emoções

Sabemos que o estresse descontrolado não é saudável e que pode afetar o funcionamento do corpo. Alguns distúrbios emocionais são responsáveis por problemas bucais complexos, como o bruxismo e a DTM. Então, caso esteja sentindo dores no maxilar, sensibilidade ou desgaste nos dentes ou estalos ao abrir ou fechar a boca, procure seu dentista.

Visite um dentista de confiança

Um dos principais problemas de saúde bucal na gestação é a gengivite gravídica, que causa a inflamação e o sangramento da gengiva. Logo, realizar uma consulta para prevenir esse tipo de desconforto é tão importante quanto o pré-natal. Ao marcar a visita, diga que você está grávida e se há alguma reclamação sobre sua saúde bucal. E não há problema em ver o seu dentista no começo da gravidez, principalmente se você estiver com algum sintoma.

Saúde bucal na gestação: os procedimentos permitidos

Uma das dúvidas mais comuns é se pode fazer intervenções estéticas e funcionais na gravidez. À primeira vista, não há riscos nem para a mamãe nem para o bebê. Desde que haja liberação médica, é possível realizar um raio-X e até uma extração dentária, se for o caso. Apesar de ser normalmente seguro, muitos profissionais preferem que esse tipo de procedimento ocorra após o primeiro trimestre de gravidez. Assim, evita-se quaisquer riscos para essa fase de crescimento do bebê, importantíssima para sua saúde.

Parto prematuro e problemas bucais: entenda a relação

Mais um motivo para levar a sério a saúde bucal. De acordo com o Conselho Federal de Odontologia, a periodontite, uma inflamação dos tecidos ao redor dos dentes que são responsáveis pela sua fiação, pode causar parto prematuro. A razão é que os micro-organismos da placa bacteriana vão para a corrente sanguínea e aumentam a produção da prostaglandina. Esse hormônio ajuda as contrações do útero, o que pode acelerar o trabalho de parto.

Fontes: Karin Stamer Janikian, dentista e ortodontia pela Michigan University, de São Paulo; Paulo Eduardo Espinosa, cirurgião dentista e consultor técnico Sorridents, de São Paulo.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.