Sangramento nasal: veja as possíveis causas e como evitá-las

7 de abril, 2022

O sangramento nasal causa bastante desconforto e preocupação. Porém, não costuma ser grave se ocorrer de forma pontual, e alguns cuidados podem prevenir o problema, como fazer lavagens nasais com frequência. A princípio, sua origem é consequência de uma possível uma inflamação ou irritação das vias respiratórias que levam ao sangramento.

Veja também: Alho no nariz para aliviar sinusite: truque do TikTok não é recomendado

Afinal, quais são as causas do sangramento nasal? 

De acordo com o Dr. Ali Mahmoud, otorrinolaringologista do hospital Santa Catarina, existem diversos motivos responsáveis pelo sangramento pelo nariz. Por exemplo:

  • Alterações inflamatórias: processos inflamatórios como rinite, sinusite e ressecamento de mucosa (tempo seco ou uso de algumas medicações), podem irritar as vias respiratórias e acarretar em sangramentos.
  • Trauma: coçar excessivamente ou bater a cabeça ou nariz pode prejudicar a mucosa e provocar o sangramento. Além disso, fraturas nasais e uso de sondas no nariz são razões que estimulam o sangramento, pois a região possui boa irrigação de sangue.
  • Hipertensão arterial: crises e falta de tratamento da hipertensão podem ser fatores de risco importantes para o sangramento nasal.
  • Uso de medicações: alguns medicamentos como os de uso tópico no nariz podem ressecar o tecido e estimular o sangramento nasal. Também podem cacaso de sangramento pode ser desencadeada por medicamentos que alteram a coagulação, como o uso contínuo de substâncias como o ácido acetilsalicílico e gingko biloba.
  • Doenças sanguíneas: indivíduos com hemofilia sofrem com sangramentos de forma frequente, pois a enfermidade compromete o processo de coagulação, essencial para conter hemorragias e lesões. Outra enfermidade que tem como sintoma as hemorragias é a doença de Von Willebrand e, nesses casos, é necessário um tratamento específico para controlar possíveis sangramentos.

Existem grupos de risco?

Não há exatamente um grupo de risco, já que o sangramento não é um motivo de preocupação com a saúde, exceto se for recorrente, com fluxo intenso e relacionado a doenças. No entanto, crianças e adolescentes têm mais probabilidade de sofrer com sangramentos nasais, segundo Oswaldo Laércio Cruz, otorrinolaringologista no Hospital Sírio-Libanês.

O motivo é que a fase infantil apresenta mais vasos sanguíneos na parte interna do nariz se for comparada com a fase adulta e a terceira idade. Mas em algum momento da vida, a maioria das pessoas poderá ter um sangramento nasal. “Felizmente a maior parte dos casos é leve e apesar do susto que causa no paciente e nas pessoas ao redor, cessa espontaneamente. Apenas 6% dos sangramentos necessitam de atendimento médico”, esclarece Deusdedit Brandão, otorrinolaringologista do Hospital Moriah.

O que fazer em caso de sangramento nasal?

O primeiro passo é manter a calma. De acordo com a Fundação Otorrinolaringologia, é recomendado manter pressionada a narina que estiver sangrando. Ao mesmo tempo, incline a cabeça para a frente de forma leve e espere o sangramento cessar. Se o sangramento persistir após 5 ou 10 minutos, recomenda-se ir até um pronto socorro para auxílio médico. Durante o trajeto, siga as mesmas orientações até chegar ao local. Além disso, é necessário evitar qualquer elemento ou situação que gere calor para as mucosas do nariz. Por exemplo

  • Exposição solar.
  • Alimentos quentes.
  • Secador de cabelo.
  • Banhos quentes.
  • Esforços físicos, como atividades de alto impacto.  

Outra forma eficaz de impedir novos sangramentos é contar com o auxílio de compressas geladas na região nasal, além de lavagens com soro fisiológico 0,9% frio.

Fontes: Dr. Ali Mahmoud, otorrinolaringologista do Hospital Santa Catarina – Paulista; Oswaldo Laércio Cruz, otorrinolaringologista do Hospital Sírio-Libanês; e Deusdedit Brandão, otorrinolaringologista do Hospital Moriah.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.