Qualquer anticoncepcional pode causar câncer de mama, diz estudo

Saúde
22 de Março, 2023
Qualquer anticoncepcional pode causar câncer de mama, diz estudo

Um dos métodos mais utilizados pela mulheres, a pílula contraceptiva e outras alternativas com hormônio não possuem apenas a função de prevenir uma gravidez, mas pode ser útil em alguns tratamentos. Contudo, apesar de sua utilidade, um estudo recente fez uma descoberta preocupante: qualquer anticoncepcional pode elevar a incidência de câncer de mama.

Uma pesquisa britânica publicada na revista PLOS Medicine mostrou que todos os tipos de pílula, tanto a de progesterona quanto a combinada com estrogênio, são fatores de risco para a neoplasia.

Além disso, de acordo com o estudo, as mulheres que também utilizam DIU hormonal, injeção ou implante são de 20% a 30% mais vulneráveis ao câncer de mama. Saiba mais a seguir.

Veja também: Afinal, água sempre faz bem à saúde?

Qualquer anticoncepcional com hormônio traz riscos, mas depende do contexto

Embora o achado seja um alerta para a saúde feminina, o estudo reforça que a probabilidade existe, mas é pequena se comparada com os benefícios. Por exemplo, a pílula e demais meios hormonais podem prevenir outros tipos de câncer, como o de ovário e o de endométrio.

A discussão sobre a relação entre uso de pílula contraceptiva e câncer de mama não é de hoje. Contudo, faltavam estudos que avaliassem qualquer tipo de anticoncepcional, pois até então só se observava o impacto de pílulas de progesterona.

Agora, os cientistas puderam verificar o risco de forma ampla, incluindo a análise de DIU hormonal, injeções e implantes contraceptivos.

Outro fator que pode colaborar para o desenvolvimento do câncer de mama é a idade e o uso prolongado de um anticoncepcional hormonal.

Na prática, as mulheres que tomaram os anticoncepcionais por cinco anos entre os 16 e os 20 anos, ocasionou em oito casos de câncer de mama a cada 100 mil pessoas. Por sua vez, entre os 35 e 39 anos, foram 265 casos a cada 100 mil mulheres.

Para entender a estatística, os cientistas investigaram informações de quase 10 mil mulheres abaixo dos 50 anos, com histórico de câncer de mama entre 1996 e 2017 no Reino Unido.

Interromper o uso diminui o fator de risco

Apesar do alerta, os autores do estudo ainda checaram outra variável: como o organismo feminino se comporta caso abandone métodos hormonais de contracepção?

Como resultado, os pesquisadores notaram o declínio do risco para a doença. Entretanto, esse efeito foi perceptível após alguns anos de interrupção do hormônio contraceptivo.

Se qualquer anticoncepcional com hormônio pode ser perigoso, o que fazer?

O estudo não foi feito com o objetivo de desencorajar o uso de contraceptivos hormonais, mas de ponderar risco e benefício. Os próprios autores informaram que a incidência é pequena se analisar o anticoncepcional de maneira isolada.

Portanto, você não precisa considerar outras opções de prevenção, a não ser que se sinta desconfortável em prosseguir dessa forma. O método hormonal oferece benefícios em muitos aspectos, mas nem todas as mulheres são elegíveis.

De qualquer maneira, é importante conversar com seu ginecologista sobre o tema e analisar as possibilidades.

 

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas