Puberdade precoce em crianças: estudos revelam provável causa

21 de julho, 2022

Diversas pesquisas mostram que a puberdade precoce em crianças e adolescentes tem se tornado cada vez mais comum. O motivo seria o excesso de peso, um vilão que causa um conjunto de alterações hormonais nessa fase da vida. Os estudos mostram que as meninas com excesso de peso tendem a antecipar a puberdade. Por outro lados, os estudos são controversos para os meninos — alguns sugerem que a puberdade se antecipa nos meninos com sobrepeso, mas se atrasa nos que têm obesidade.

Veja também: Adolescentes que pulam o café da manhã têm maior risco de obesidade

Porque o excesso de peso pode causar puberdade precoce?

“Os mecanismos por trás da puberdade alterada nestas crianças não são muito claros. Mas sugerem interferências das adipocitocinas (substâncias secretadas pelo tecido adiposo) no hipotálamo, alterando o controle da puberdade”, comenta Cristiane Kochi, endocrinologista da SBEM-SP.

Contudo, a puberdade precoce em crianças não é a única consequência da obesidade e do sobrepeso. Vale ressaltar o risco já conhecido de evolução para doenças crônicas, como hipertensão, dislipidemia e diabetes tipo 2, as crianças e adolescentes com obesidade podem sofrer outros problemas. Por exemplo, alterações ortopédicas, dermatológicas, psicossociais e síndrome dos ovários policísticos, no caso das meninas.

Quais são os riscos?

A antecipação da puberdade em meninas pode levar à menstruação mais precoce. Estudos mostram que quando a menstruação ocorre mais cedo, isso está associado à gestação mais precoce também. Já nos meninos, o atraso puberal pode estar associado a alterações psicossociais: são meninos grandes, sem desenvolvimento puberal, o que pode gerar bullying.

De acordo com a médica, existem alguns estudos nacionais em escolas, mostrando a idade da menarca (primeira menstruação) mais cedo em meninas com excesso de peso. “Publicamos uma pesquisa mostrando que tanto meninas quanto meninos com excesso de peso são altos na fase pré-puberal, com avanço da idade óssea. No entanto, crescem menos durante a puberdade, atingindo o padrão genético da altura”, explica Cristiane.

Na avaliação da médica, é importante fazer um alerta sobre a conduta médica. “Em relação às meninas, em alguns casos, há necessidade de bloquear a puberdade, quando essa ocorre precocemente (antes dos 8 anos de idade), mesmo que não haja previsão de perda de estatura. Nesse caso, a indicação do bloqueio é o ajuste psicossocial. Importante sempre orientar a perda de peso, para reduzir os riscos de saúde”, finaliza.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.