Por que perdemos colágeno ao longo do tempo?

Beleza Bem-estar
11 de Setembro, 2023
Por que perdemos colágeno ao longo do tempo?

Está difícil de olhar no espelho sem a vontade de dar uma “puxadinha” na pele do maxilar e você tem se perguntado por que perdemos colágeno ao longo do tempo? Aquele visual de pele “derretendo” anda aparecendo nas fotos de rosto? O colágeno da pele de outras pessoas começa a chamar sua atenção?

Esses são os indícios do envelhecimento da pele do rosto, contra o qual existem hábitos e tratamentos efetivos, segundo a médica dermatologista Dra. Viviane Scarpa, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

“Além da perda de colágeno que acontece ao longo do tempo, sabemos que, com a idade, as fibras elásticas e a hidratação natural da pele também diminuem. Mas, não podemos esquecer que, no processo de envelhecimento, também temos reabsorção óssea, flacidez dos músculos e tendões e reposicionamento dos tecidos de gordura”, elenca a especialista, ao definir os causadores da indesejada flacidez. 

Fora as causas naturais e genéticas, os fatores comportamentais incidem de forma preponderante na aceleração desse processo. “Ou seja, o hábito de fumar, a exposição excessiva ao sol, dietas ricas em gorduras e açúcar. Todos esses fatores contribuem para a flacidez facial, por exemplo”, alerta a dermatologista. 

Apesar disso, hoje em dia, os tratamentos estéticos para retardar esse processo estão cada vez mais efetivos. “A medicina evolui nos tratamentos para gerenciar o processo de envelhecimento com tecnologias e produtos injetáveis como aliados no tratamento da flacidez”, aponta Dra. Viviane, lembrando que “quanto antes começar a tratar, melhor”. 

Por que perdemos colágeno ao longo do tempo?  

Em cápsulas, comprimidos, pó, a proteína do colágeno dá um aspecto de firmeza e elasticidade à pele. “Hoje sabemos que após os 25 anos perdemos 1% de colágeno por ano”, informa a médica. Assim, ela comenta ainda a popularidade dos bioestimuladores de colágeno, que são substâncias injetáveis capazes de estimular a produção de colágeno pelos fibroblastos da própria pessoa e que retardam o processo de envelhecimento. “Por ser um procedimento que melhora a flacidez e o aspecto da pele sem dar volume, é muito procurado nos consultórios médicos atualmente”, indica ela. 

Leia também: Vitamina C para o rosto: o que você precisa saber antes de usar

Chegou a minha hora de cuidar disso? 

Se, ao olhar no espelho ou nas fotos, você tem a sensação de que a pele está “derretendo”, ou se você estica a pele da face para trás para dar uma “puxadinha” e percebe que está “puxadinha” com os dedos melhora sua aparência, você já é uma candidata a fazer tratamento de flacidez facial, de acordo com a dermatologista. 

Assim, para quem animou – ou se viu na necessidade – de procurar ajuda especializada, Dra. Viviane dá o tom: “Em primeiro lugar, é preciso entender que cada ser humano é único e que a perfeição não existe. Busque por profissionais que saibam entregar um resultado elegante e natural e que respeitem a individualidade de cada um”. 

Outra dica da dermatologista é sobre a valorização da expertise e conhecimento do assunto que os profissionais da área têm. Por mais que tenhamos acesso fácil a informações de qualidade, nada substitui os anos de prática e estudos dos médicos. “O que vejo hoje em dia são os pacientes chegando no meu consultório já pedindo para fazer um tratamento x ou y e, ao longo da consulta, chegamos juntos à conclusão do melhor tratamento para a queixa dele, e que muitas vezes não é o que ele veio com o intuito de fazer num primeiro momento”, conclui a médica.

Para que serve a suplementação de colágeno?

A suplementação é feita com os peptídeos de colágeno hidrolisado (dos tipos peptan ou verisol) que são formas mais biodisponíveis para o corpo. Isso pode ajudar na manutenção dos estoques da proteína e até no aumento da síntese dela pelo organismo. Principalmente quando associada a bioestimuladores ou a tecnologias como ultrassom microfocado e radiofrequência microagulhada, por exemplo. Por se tratar de uma fonte proteica, o colágeno age também na melhora do aspecto do cabelo e das unhas.

Por quanto tempo tomar colágeno?

É importante avaliar com seu médico se você não apresenta contraindicações à suplementação. Geralmente, é indicada a ingestão do colágeno em jejum para facilitar a absorção. O tempo mínimo de uso é de 3 meses, podendo ser estendido a depender do paciente.

Fonte: Dra. Viviane Scarpa CRM 118.129-SP | RQE 30.536
Médica Formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas em 2004. Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em 2009.

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Inchaço ou gordura
Alimentação Bem-estar Saúde

Inchaço ou gordura: como diferenciar?

A maneira mais fácil de descobrir é notar a rapidez com que eles ocorrem, além da localização no corpo. Entenda

dieta do ovo
Alimentação Bem-estar

Dieta do ovo 3 dias: cardápio do desafio do ovo

Já ouviu falar na dieta do ovo 3 dias? No desafio do ovo podemos consumir ovo em forma de omelete, mexido, cozido ou frito. Veja o