Polidipsia: Entenda o que é, sintomas e tratamento

28 de outubro, 2021

Você costuma ter sede a maior parte do tempo? Pode ser que você tenha polidipsia. Isso porque a condição ocorre quando uma pessoa tem sede excessiva e acaba ingerindo quantidades exageradas de água e outros líquidos. Geralmente surgem outros sintomas, como boca seca, tontura e aumento da frequência urinária.

Assim, quem tem polidipsia pode ter a percepção de que nenhuma quantidade de água é suficiente. Isto é, apesar de beber bastante água, a sensação de sede continua.

O normal é que os adultos façam 3 litros de xixi por dia. Dessa maneira, entre as pessoas com polidipsia, a quantidade de urina perdida durante o dia pode aumentar para 16 litros.

Mas o excesso de água no corpo pode reduzir drasticamente a quantidade de sódio no sangue, levando a hiponatremia. Sendo assim, essa condição pode causar dor de cabeça, tontura, sonolência e até mesmo convulsões e coma.

Causas da polidipsia

Existem diversos fatores que podem contribuir para a polidipsia. Veja quais são eles:

  • Diabetes mellitus ou insípido:  Quando o nível de açúcar no sangue está mais elevado do que o normal, é comum urinar várias vezes ao dia. Contudo, quanto mais você faz xixi, mais desidratado e com sede fica;
  • Problemas de saúde mental: Algumas doenças mentais podem contribuir para o desenvolvimento da polidipsia. Como esquizofrenia e outros transtornos de personalidade, depressão, ansiedade e anorexia. 

Sintomas

Os principais sintomas da condição incluem:

  • Aumento da frequência urinária;
  • Boca seca;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Espasmos musculares;
  • Cãibras;

Leia também: Água: Você sabe quanto deve tomar todos os dias?

Tratamento

Em primeiro lugar, o médico precisa identificar o que está causando a polidipsia por meio de exames de sangue e urina. 

Com a confirmação, o tratamento irá depender da causa. Mas geralmente são indicados medicamentos para controlar os níveis de açúcar no sangue.

Por outro lado, se a polidipsia for causada por distúrbios psicológicos, o especialista pode recomendar medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.