Perder peso é a melhor forma de controlar o diabetes tipo 2, diz estudo

3 de agosto, 2022

O diabetes tipo 2 caracteriza-se pela produção insuficiente de insulina pelo pâncreas ou pela incapacidade do organismo de utilizar a insulina produzida de forma eficiente. É mais comum em pessoas com mais de 40 anos, acima do peso, sedentárias, sem hábitos saudáveis de alimentação. Embora sem cura, é possível ter uma remissão da doença, isto é, mantê-la controlada. Mas como fazer isso? De acordo com um estudo recente da revista Lancet, perder peso é a melhor forma de controlar o diabetes tipo 2. Entenda.

Leia mais: Diabetes tipo 2 tem cura? Saiba mais sobre a doença

Estudo americano indica que perder peso é a melhor forma de controlar o diabetes tipo 2

Segundo o estudo do periódico científico internacional, pacientes portadores de diabetes associados à obesidade devem priorizar, sobretudo, a perda de peso para controle da glicemia e para evitar a progressão da doença e de suas complicações, como a insuficiência renal e eventos cardiovasculares, como infarto do miocárdio e AVC (acidente vascular cerebral).

Segundo o estudo, os benefícios aparecem já no começo do emagrecimento, mas o ideal é perder entre 10 e 15% do peso. Assim o paciente consegue evitar o avanço do diabetes e a longa lista de complicações trazidas pela doença, como cegueira, falência dos rins e até amputações.

O artigo do The Lancet contou com a participação do Dr. Ricardo Cohen, Coordenador do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, além de pesquisadores dos EUA, Austrália e Irlanda.Esta é a primeira vez que a perda de peso por meio da cirurgia metabólica é mencionada como passo inicial no tratamento do diabetes tipo 2, quando o melhor tratamento clínico não atinge o desfecho planejado. Antes, tratava-se primeiro a glicemia, agora dedica-se ao emagrecimento, que pode interromper a evolução da doença a longo prazo”, afirmou o médico brasileiro.

Cirurgia metabólica: outra opção de tratamento

Ainda de acordo com o estudo, assim como acontece com outros tratamentos médicos, existem pacientes que não têm a resposta esperada ao tratamento medicamentoso. Nesse caso, a cirurgia metabólica aparece com destaque no estudo.

Segundo o Dr. Ricardo Cohen, além da perda de peso, as cirurgias metabólicas levam ao controle do diabetes através de mecanismos que melhoram a secreção de insulina pelo pâncreas e diminuição da resistência dos tecidos à ação da insulina, que levam ao controle dos índices de açúcar na corrente sanguínea.

Dessa forma, pode ser realizada em indivíduos que não conseguiram ter o diabetes controlado por meio do melhor tratamento medicamentoso e da mudança de hábitos e que apresentam comorbidades associadas ao diabetes, resultando tanto na remissão da doença e auxiliando na prevenção e até tratamento das doenças renais e eventos cardiovasculares secundários à evolução do diabetes. As ações diretas em relação à perda de peso e os mecanismos de melhora da função do pâncreas e sensibilidade dos tecidos à insulina deixam a cirurgia metabólica como mais uma opção aos médicos, que poderão definir quais pacientes devem ter o acesso à cirurgia priorizado.

Leia mais: Sedentarismo e excesso de peso: os principais fatores do diabetes tipo 2

Referências: The Lancet e Hospital Oswaldo Cruz.

Descubra se seu peso está saudável Em minutos, você saberá se seu peso atual é saudável, com a ajuda grátis da Vitat.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde