Parada cardiorrespiratória: O que é, sintomas e tratamento

Saúde
30 de Maio, 2022
Parada cardiorrespiratória: O que é, sintomas e tratamento

O coração para de bater de forma repentina ou os batimentos ocorrem lentamente. É assim que a parada cardiorrespiratória é diagnosticada, podendo levar um indivíduo a óbito. Essa condição, popularmente conhecida como parada cardíaca, é perigosa porque ela pode afetar uma pessoa a qualquer momento. Os motivos mais comuns da doença são: doenças cardíacas, insuficiência respiratória e choque elétrico. 

Pesquisadores da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) descobriram que existe uma relação entre a Covid-19 e o risco de um paciente ter parada cardíaca. Por isso, o problema não pode ser ignorado por nenhum indivíduo. 

Assim, saiba mais detalhes sobre a parada cardiorrespiratória, quais são as causas, sintomas, tratamentos e formas de prevenção.

Causas

De acordo com o cardiologista, Ausonius Sawczuk, as principais causas de parada cardiorrespiratória são: infarto, acidente vascular cerebral (AVC), intoxicação, uso de drogas, entre outros. 

Veja abaixo outros motivos pelos quais ocorre a doença.

  • Arritmia: acima de tudo, é uma condição caracterizada pela alteração no ritmo dos batimentos cardíacos. Ela não traz risco de vida, porém, em casos de arritmia de fibrilação ventricular, pode ocorrer uma parada cardíaca. 
  • Doença coronariana : as placas de colesterol presentes nas artérias atrapalham a passagem de sangue para o coração, podendo afetar o músculo cardíaco. 
  • Choque: causa a diminuição do oxigênio no organismo e maior acúmulo de toxinas, podendo, assim, ter alterações no funcionamento do músculo cardíaco e sistema respiratório. Dessa forma, aumenta o risco de parada cardiorrespiratória.  
  • Insuficiência respiratória: ocorre uma dificuldade nas trocas gasosas nos pulmões, causando um aumento na concentração de dióxido de carbono. Esse cenário pode afetar, sobretudo, o funcionamento do coração e causar arritmia e, consequentemente, aumentar o risco de ocorrer uma parada cardiorespiratória. 
  • Estresse e atividade física intensa: é raro de ocorrer, entretanto, podem causar uma parada cardíaca súbita. Geralmente atinge  pessoas com antecedentes de doenças cardíacas.  
  • Sedentarismo: por fim, a falta de exercício físico gera o aumento do peso corporal e o esforço para o coração. 

Sintomas

Os sintomas da parada cardiorrespiratória podem ser identificados antes dela afetar um indivíduo, podendo servir de alerta para qualquer pessoa. Por exemplo:

  • Dores fortes no peito que irradia para as costas ou abdômen;
  • Dor forte na cabeça;
  • Língua enrolada;
  • Falta de ar;
  • Formigamento no braço esquerdo;
  • Palpitações fortes. 

Leia mais: O que causa infarto? Especialista aponta estilo de vida como principal culpado

Como funciona o tratamento da parada cardiorrespiratória? 

As manobras de ressuscitação cardiopulmonar são realizadas quando alguém tem uma parada cardiorespiratória. Assim, elas mantêm a circulação sanguínea, permitindo a oxigenação dos tecidos e o transporte de nutrientes. A técnica, quando feita de forma ágil, pode contribuir para a sobrevivência da pessoa. 

Além disso, vale ressaltar que a doença pode gerar problemas cerebrais se não houver ação nos primeiros cinco minutos e morte cerebral em cerca de dez minutos. Dessa forma, o socorro rápido e eficaz é fundamental. Os primeiros passos de atendimento são representados pelo CABD primário, que corresponde a:

  • C: checar responsividade e respiração, chamar ajuda, checar pulso e iniciar compressões;
  • A: abertura das vias aéreas;
  • B: boa ventilação;
  • D: desfibrilador.

Como prevenir a parada cardiorrespiratória? 

O combo entre a atividade física e a alimentação equilibrada é sempre a melhor saída para prevenir parada cardiorrespiratória. Em relação à primeira estratégia, ela tem o poder de melhorar a saúde do coração, diminuir as chances de diabetes, controlar a hipertensão arterial, entre outros benefícios. 

 “Quanto mais envelhecemos, mais benefícios temos com as atividades físicas. Por isso, elas devem fazer parte da nossa vida, diariamente”, explica Valdir Pereira Aires, salienta Valdir Pereira Aires, membro do Departamento de Ergometria, Exercício, Cardiologia Nuclear e Reabilitação Cardiovascular (DERC) da SBC.

Alimentação

Já a nutricionista Rachel Oliveira, lista quais são os alimentos mais indicados para manter a saúde do coração em dia:

  • Salmão: a profissional recomenda já que o peixe contem ácidos gordos ómega-3, que evitam a formação das placas que obstruem as artérias, reduzem o colesterol e combatem os triglicérides;
  • Linhaça: além de ser um alimento funcional, contém elementos que podem diminuir o risco de algumas doenças por meio do aumento da defesa orgânica e redução do ritmo de envelhecimento celular;
  • Maçã: rica em pectina. Uma fibra solúvel que reduz a glicemia (níveis de açúcar no sangue), impede a absorção de gorduras e elimina o colesterol; 
  • Leguminosas: ajudam na saciedade, o que pode favorecer o processo de emagrecimento/controle do peso.
  • Aveia: primeiramente, a composição contém fibras solúveis e insolúveis. A primeira é responsável pela diminuição da absorção do colesterol e açúcares, além da prevenção de doenças cardiovasculares. Já as insolúveis, aceleram o trânsito intestinal, reduzem o risco de desenvolvimento de cancro no intestino e retardam o esvaziamento gástrico, que resulta numa maior saciedade. 
  • Frutos secos: apesar de alimentos ricos em gordura, são saudáveis porque a maior parte da gordura é monoinsaturada e tem um papel protetor a nível cardiovascular, diminuindo os níveis sanguíneos do colesterol LDL, o “mau”, e aumentando o HDL, o “bom colesterol”. As melhores alternativas são: castanha-do-pará, feijão, ervilha, soja, girassol, arroz, milho.
  • Espinafre: ricos em flavonoides, os espinafres funcionam como antioxidantes e agentes anticancerígenos;
  • Azeite: é uma gordura rica em ácidos gordos monoinsaturados. Por isso, é considerada saudável. Os seus benefícios na prevenção das doenças cardiovasculares estão comprovados cientificamente. 
  • Frutas vermelhas:  ricas em antioxidantes. Assim, elas contribuem para a eliminação de toxinas presentes no organismo.

Alimentos vilões do coração 

Para evitar parada cardiorrespiratória e outros problemas do coração, recomenda-se, sobretudo, ter cuidado com os alimentos processados e ultraprocessados, que passam por técnicas e processamentos com altas quantidades de sais, açucares, gorduras, realçadores de sabor, emulsificantes, espessantes e texturizantes.

“São alimentos que possuem poucos nutrientes e uma quantidade muito grande de aditivos artificiais, responsáveis por dar aparência, textura e gosto à comida, aumentando o prazo de validade e o tempo de prateleira para comercialização nos supermercados. São fatores que contribuem para o aumento de sobrepeso, obesidade e risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis como: Diabetes, Câncer, Hipertensão, Doenças Cardiovasculares, entre outras.

Entre os exemplos desses alimentos estão: refrigerantes, gordura trans (produtos industrializados como: bolachas, salgadinhos), excesso de sal, açúcar, farinha de trigo, alimentos embutidos (peito de peru/chester, mortadela, presunto, salsicha, bacon, salame) além do consumo excessivo de álcool.”, explica a médica. 

Antes de mudar a sua alimentação e fazer atividades físicas, lembre-se de procurar um médico para que ele informe qual é o exercício mais indicado e quais são os alimentos que correspondem melhor a sua saúde. 

Fontes: Valdir Pereira Aires, membro do Departamento de Ergometria, Exercício, Cardiologia Nuclear e Reabilitação Cardiovascular (DERC) da SBC, Rachel Oliveira, nutricionista, e Ausonius Sawczuk, cardiologista do Hospital Albert Sabin.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas

pés de pessoas calçando botas andando no meio de uma enchente
Saúde

Dengue ou leptospirose? Como diferenciar os sintomas

Após cheias como as do Rio Grande do Sul, as duas doenças podem coexistir e infectar simultaneamente a população; orientação é procurar atendimento médico para o diagnóstico