Pacientes com câncer desenvolvem anticorpos com a vacina da Covid-19

Saúde
07 de Outubro, 2021
Pacientes com câncer desenvolvem anticorpos com a vacina da Covid-19

Pacientes com câncer têm maior risco de apresentar complicações graves relacionadas ao Covid-19, mas a vacina protege a maioria dessas pessoas. Foi o que mostrou um estudo do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, e da Universidade de Genebra, na Suíça.

O trabalho, publicado no periódico Cancer Cell, avaliou 131 pacientes com câncer que receberam imunizantes contra o coronavírus que usam a tecnologia de mRNA (como o da Pfizer e o da Moderna). Assim, de três a quatro semanas após a segunda dose, 94% deles desenvolveram uma boa resposta imunológica. Mas outras vacinas e as variantes do Sars-CoV-2 não foram examinadas.

Leia também: Atividade física regular aumenta a imunidade e a eficácia de vacinas

Pacientes com câncer e vacina contra a Covid-19

Os cientistas envolvidos nessa pesquisa ressaltam a importância de cumprir o esquema vacinal com duas doses para assegurar a proteção frente ao coronavírus, especialmente nesses indivíduos. “Fala-se que uma dose traria uma defesa adequada em certas situações. Mas isso pode não ser verdade no caso de pessoas com câncer. O protocolo completo é importante para uma resposta robusta de anticorpos”, afirma Dimpy Shah, epidemiologista que assina o estudo.

Dessa maneira, apenas sete pacientes não produziram anticorpos após as injeções. A maioria deles (71%) havia sido diagnosticada com cânceres hematológicos, como leucemia e mieloma. Além disso, boa parte (86%) recorreu à quimioterapia ou ao rituximabe (um medicamento que atua no sistema imune) nos últimos seis meses. Isso sugere que tratamentos que debilitam as defesas do organismo poderiam influenciar na resposta da vacina.

Embora outros trabalhos sejam necessários para confirmar essa hipótese, os autores da pesquisa defendem que é necessário considerar uma terceira dose após o término da terapia contra o câncer. Acima disso, enfatizam a importância de manter certos cuidados — como usar máscaras e manter o distanciamento físico — mesmo após a imunização.

É importante ressaltar que essa pesquisa possui limitações. Em primeiro lugar, o número de voluntários envolvidos é pequeno para tirar conclusões categóricas. Principalmente se considerarmos que há diferentes tipos de câncer, cada um com suas particularidades e tratamentos. Além disso, os pesquisadores mediram a resposta do sistema imunológico, e não a real eficácia (ou seja, quantos indivíduos vacinados de fato não pegaram Covid-19, em comparação com não vacinados). Por último, o levantamento só contou com participantes americanos e europeus: 80% eram brancos, 18%, hispânicos, e 2%, negros.

(Fonte: Agência Einstein)

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!