O que é bom para dor de dente? Saiba o que fazer e as possíveis causas

Saúde
19 de Setembro, 2022
O que é bom para dor de dente? Saiba o que fazer e as possíveis causas

O último levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde revelou que 25% dos brasileiros sofrem com algum tipo de dor nos dentes. Paralelamente a isso, a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados acerca de hábitos relacionados à saúde bucal no Brasil. Entre aqueles que não possuem plano odontológico, mais de 15,3 milhões nunca foram ao dentista. Além disso, apenas 49% dos entrevistados haviam consultado o profissional alguma vez nos últimos 12 meses. De acordo com a dentista e diretora da Amil Dental Maria Adriana Araújo, qualquer incômodo é sinal de que algo não está bem. Assim, saiba o que é bom para dor de dente e quais são as possíveis causas do problema.

A profissional explica que a intensidade da dor varia tanto por questões individuais quanto pelo motivo que causou o incômodo. De qualquer forma, ela destaca que nenhum tipo de incômodo deve ser visto como uma condição banal ou comum. 

Causas

As duas principais causas da dor de dente são a presença de cárie e doenças periodontais, ou seja, que acometem os tecidos de sustentação dos dentes, como a gengiva, o osso e a musculatura.

“Vale destacar que tanto a cárie quanto as doenças gengivais são infecções bacterianas. Por isso, merecem atenção e cuidados, pois o nosso sistema circulatório geral também inclui a passagem pelos dentes e suas estruturas de suporte”, destaca.

Além disso, existem outros motivos que podem influenciar o surgimento da dor de dente. Por exemplo:

  • Problemas na mordida (“encaixe” dos dentes da arcada superior e inferior);
  • Restaurações antigas e que necessitam de substituição;
  • Abscessos e pulpites, esta última mais popularmente conhecida como inflamação aguda do “nervo”  ou polpa do dente;
  • Raízes dos dentes expostas, com dor com alimentos quentes e frios ;
  • Traumas em geral em decorrência de acidentes;
  • Sinusites e outros problemas neurológicos;
  • Disfunções na articulação têmporo mandibular (DTM).

Quando a dor de dente é preocupante?

Maria Adriana reforça que toda a dor de dente deve ser investigada e, para isso, é necessário ir ao dentista. “Nas consultas, o detalhamento do histórico de saúde do paciente e o exame clínico cuidadoso fornecem dados importantes para um correto planejamento e tratamento odontológico, visando preservar a saúde bucal e a saúde em geral”, esclarece.

A profissional explica, ainda, que os casos mais preocupantes são aqueles em que há infecção instalada. Isso acontece, por exemplo, quando a cárie está bastante profunda e atinge a polpa do dente. Nesse momento, a infecção pode alcançar outros locais do corpo, tornando o quadro mais grave.

Leia também: Abcesso cerebral: Bactérias de cárie podem atingir o cérebro

O que é bom para dor de dente?

É comum buscar métodos caseiros ou remédios sem prescrição para buscar alívio momentâneo da dor de dente. Entretanto, essas práticas não são recomendadas. O melhor a se fazer, segundo a especialista, é buscar atendimento odontológico o mais rápido possível.

Não devemos utilizar a automedicação. Em alguns casos, a dor pode “desaparecer” espontaneamente, porém também pode mascarar um quadro mais grave à frente, com dores, complicações e processos infecciosos que podem levar à perda de um dente ou a uma infecção generalizada”, diz.

Assim, Maria defende a prevenção e o diagnóstico como as melhores formas de evitar quadros de risco. Quantos antes houver a análise do dentista, menos chances de um prolongamento da dor e de uma evolução da condição.

Como tratar a dor?

Os tratamentos variam conforme a causa que gerou o incômodo. Dessa maneira, o dentista identifica o motivo pelo qual há dor na cavidade bucal e, assim, faz a intervenção necessária. A diretora da Amil comenta quais são os protocolos de praxe para o tratamento da dor de dente:

  • Cáries: remoção da cárie e/ou restaurações antigas e reabilitação com restaurações ou próteses, incluindo (ou não) a necessidade de tratamento de canal (parte viva do dente);
  • Problemas gengivais: raspagens, orientações de higiene e cirurgias específicas;
  • Problemas na mordida: correções ortodônticas / posicionamento dos dentes na especialidade ortodontia;
  • Raízes dos dentes expostas: recobrimento das raízes expostas, aplicação de dessensibilizantes, etc;
  • Traumas em geral: avaliações clínicas e radiográficas para avaliação da extensão e planejamento clínico reabilitador (forma, função e estética);

Por fim, quando se trata de doenças sistêmicas, se faz necessário um outro tipo de abordagem. “Em casos de diabetes, hipertensão, doenças do coração, câncer e outras, o tratamento odontológico deverá considerar a atuação multidisciplinar, ou seja, de dentistas e outros profissionais da saúde, visando a completa recuperação e bem-estar do paciente”, diz.

Hábitos para evitar a dor de dente

A prevenção é a melhor maneira de evitar dores e o surgimento de problemas de saúde. Por isso, existem alguns hábitos relacionados à saúde bucal que devem ser entendidos como prioridade na rotina. Veja alguns:

  • Visitar o dentista regularmente (não esperar sentir a dor para marcar uma consulta);
  • Escovar os dentes e fazer uso do fio dental depois das refeições;
  • Por fim, evitar o uso de cigarro.

Fonte: Maria Adriana Araújo, dentista e diretora da Amil Dental

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Que horas o mosquito da dengue mais pica
Saúde

Que horas o mosquito da dengue mais pica?

Veja quais são os principais horários e como se prevenir da doença

escolher travesseiro
Bem-estar Saúde Sono

Saiba o que é importante na hora de escolher o melhor travesseiro

Aprenda a escolher o melhor produto para dormir melhor

curar a gripe rápido
Saúde

Estratégias para curar a gripe mais rápido

Beber água e descansar são algumas das medidas para curar a gripe rápido; veja outras estratégias eficazes