Maus hábitos elevam risco de perda auditiva em 1 bilhão de jovens

Saúde
21 de Dezembro, 2022
Maus hábitos elevam risco de perda auditiva em 1 bilhão de jovens

Cerca de um bilhão de jovens entre 12 e 34 anos no mundo correm o risco de perder a audição por conta de maus hábitos, como uso inadequado de fones de ouvido e/ou por frequentar ambientes com som muito alto. Os resultados estão em um megaestudo publicado no “British Medical Journal”, que fez uma revisão de artigos que analisaram dados de quase 20 mil pessoas entre 2000 e 2021.

Maus hábitos e risco de perda auditiva

A pesquisa avaliou as chamadas “práticas inseguras de escuta”, considerou os níveis de ruído e a duração da exposição ao som. Assim, os pesquisadores constataram que 24% dos jovens já fizeram um mau uso dos equipamentos individuais, como fones, e quase metade deles se divertiram em locais barulhentos demais. Então, a partir desses números, foi calculada a estimativa global do problema. Por fim, os autores chamaram a atenção para os fatores de risco modificáveis, capazes de prevenir as lesões.

“O estudo certifica o que temos visto na prática”, diz o otorrinolaringologista Paulo Henrique Dias Mattos, do Hospital Israelita Albert Einstein, em Goiânia. O risco da perda auditiva está relacionado ao volume, à duração e à frequência da exposição ao ruído.

Calcula-se que o limite seguro para evitar danos é de 80 decibéis durante 40 horas por semana. Se o volume aumenta, o tempo de exposição deve ser menor. Fones de ouvido, por exemplo, podem atingir 105 decibéis; já nas festas, a música pode ficar entre 104 e 112.

“É importante ressaltar que essa exposição se soma a uma poluição sonora que também agride nosso sistema auditivo”, acrescenta Mattos.

O excesso de ruído causa lesões neurossensoriais que afetam o nervo auditivo. Além disso, a exposição contínua – ou mesmo eventual – de forma excessiva pode causar danos que vão se acumulando ao longo da vida. Por isso, na grande maioria dos casos, a perda é definitiva.

“O que se pode fazer é evitar a progressão. Se esses jovens já têm um comprometimento precoce, na velhice o prejuízo pode ser ainda maior”, diz o especialista.

Leia também: Fones de ouvido prejudicam a audição? Especialista responde

Sinais de alerta

A perda auditiva pode ocorrer por fatores genéticos, infecções e pelo próprio envelhecimento, entre outros. Nas crianças, está associada, sobretudo, a um mau desempenho acadêmico. Nos adultos, ouvir mal pode levar a declínio cognitivo, prejuízo psicossocial e até queda de renda, de acordo com o artigo.

Na maioria das vezes, a própria pessoa não percebe a perda. Entre os sinais de alerta, está a necessidade de ficar repetindo informações, o costume de aumentar muito o volume para ouvir bem ou a existência de algum zumbido frequente ou constante.

Deve-se manter os fones de ouvido bem ajustados e optar por um volume mais baixo para evitar as lesões. Em shows e festas, por exemplo, é importante evitar maus hábitos, como ficar ao lado de caixas de som. Em locais muito ruidosos, como fábricas, é fundamental sempre utilizar protetores como tampões.

Fonte: Agência Einstein

Leia também:

5 plantas que afastam
Saúde

5 plantas que afastam o mosquito da dengue

Uma estratégia simples contra a dengue envolve o cultivo de plantas aromáticas em casa. Veja 5 opções

Quem não pode tomar vacina da dengue
Saúde

Quem não pode receber a vacina da dengue?

Faltam testes sobre a segurança e eficácia da vacina em determinados públicos; veja quais são

foto de folhas de citronela em uma bandeja de bambu
Bem-estar Casa Saúde

Planta citronela espanta mosquito da dengue?

A planta possui um óleo essencial desagradável para alguns insetos. Contudo, a citronela não deve ser a única estratégia para espantar o mosquito da dengue