Mandioca: conheça os benefícios e veja como consumir

Alimentação Bem-estar
06 de Julho, 2023
Mandioca: conheça os benefícios e veja como consumir

Mandioca, macaxeira ou aipim? Independente de como a raiz é chamada na sua região, o que vale é que ela é rica em carboidratos e conta com altas concentrações de nutrientes. Substituta oficial da batata, tem uma consistência mais macia e pode ser servida frita, cozida ou ensopada. A enorme variedade depende apenas da criatividade de quem prepara.  Mas, você conhece os benefícios da mandioca?

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o país é o segundo maior produtor de mandioca do mundo. E é por isso que o tubérculo não pode faltar no prato dos brasileiros.

Assim, o alimento teve origem na América do Sul e ficou conhecido com diferentes nomes. Mas o que importa mesmo é a composição nutricional: fonte de vitamina C e B1, rica em potássio, em fibras, folato e resveratrol. Além de altamente energético.

Na hora da compra, observe se a raiz tem cor uniforme – branca ou amarela, conforme a qualidade. Mas, nunca cinza. Assim, recuse as que apresentarem manchas ou estrias escuras, e um segredo para deixa-las macia é mantê-las imersa na água do cozimento até o momento de servir.

Benefícios da mandioca

  • Auxilia na contração muscular
  • Previne anemia
  • Ajuda na absorção de nutrientes no intestino
  • Melhora o sistema imunológico
  • Auxilia no combate ao câncer
  • Ação anti-inflamatória
  • Reduz colesterol
  • Antioxidante
  • Fortalecimento dos cabelos
  • Neutraliza doenças oftalmológicas
  • Por fim, melhora movimento de articulações

Valor nutricional da mandioca (pedaço médio):

  • Calorias: 125 kcal
  • Carboidratos totais: 31,1 g
  • Proteínas: 1,4 g
  • Gorduras totais: 0,3 g
  • Gorduras saturadas: 0,1 g
  • Sódio: 9 mg
  • Vitamina C: 14,6 mg
  • Vitamina B1: 0,14 mg
  • Potássio: 271 mg
  • Fibras alimentares: 1,8 g

Se engana quem pensa que só mandioca branca é comestível: existem mais de 10 tipos de mandioca de mesa, como a mandioca rosada, a guaíra, a tapioqueira, arari, formosa, jarí, kiriris, mulatinha, dourada e prata. Ou seja, dessas variações também se obtém o polvilho doce, usado para diversas receitas de doces e panificação. 

Leia também: Tipos de farinhas sem glúten

Alegria dos celíacos

Por ser livre de glúten, a mandioca é queridinha de outra parcela da população, os portadores de doença celíaca – estima-se que sejam 2 milhões só no Brasil. Além disso, graças a seus derivados como a farinha e o polvilho, os celíacos conseguem ampliar o limitado cardápio de quem não pode ingerir a proteína que dá as caras no trigo, por exemplo.

Farinha de mandioca

A farinha de mandioca é livre de glúten, grãos e nozes. Assim, é mais parecida com a farinha branca e pode aparecer como substituta da farinha de trigo em receitas.

Tem um sabor neutro e é facilmente digerível. Além disso, é mais baixa em calorias que as farinhas de coco ou amêndoas.

A farinha de mandioca consiste principalmente de carboidratos. Semelhante à farinha de tapioca, fornece amido resistente, que oferece diversos benefícios ao sistema digestivo. Além disso, algumas pesquisas sugerem que o teor de amido resistente nessa farinha pode diminuir os níveis de açúcar no sangue e melhorar a sensibilidade à insulina. 

Como a farinha de mandioca pode ser usada sozinha em produtos alimentícios, é menos provável que ela seja contaminada. 

No entanto, é sempre importante observar onde o produto foi processado.

Mandioca engorda? 

A mandioca tem uma grande quantidade de carboidratos, por isso é tão associada ao ganho de peso. No entanto, nenhum alimento isolado é capaz de fazer uma pessoa engordar ou emagrecer: para que cause diferença na balança, ela tem de ser consumida em excesso e dentro de uma dieta rica em outros alimentos calóricos e ricos em carboidratos simples. 

Para que faça bem à saúde, o ideal é que a mandioca faça parte de plano alimentar saudável e equilibrado, substituindo outras fontes de carboidrato como batata, arroz e macarrão

A quantidade ideal é em média 150 gramas por dia, mas esse valor pode variar de acordo com a dieta e o estilo de vida de cada um. 

É importante ressaltar que qualquer dieta deve ser realizada com orientação adequada de um nutricionista, pois cada pessoa tem necessidades e condições de saúde individuais.

Envenenamento 

O consumo da mandioca crua pode causar envenenamento por cianeto. Vômito, tontura, enjoo, dores no estômago, e cabeça e até inchaço na glote. O composto tóxico é encontrado na casca e um corte pode causar a ruptura de células que liberam o veneno. O mais seguro é cozinhar a mandioca antes do consumo e descascar a raiz mergulhada em água.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

10 benefícios da banana que provavelmente você não conhece (mais receitas)

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

mulher fazendo o exercício peck deck na academia
Bem-estar Movimento

Peck deck (voador): o que é, para que serve e como fazer o exercício

Entenda quais músculos o peck deck aciona, como executar corretamente e quais exercícios podem substituí-lo nos dias mais cheios da academia

perda muscular
Bem-estar Movimento Saúde

Perda muscular compromete a recuperação do paciente  

A sarcopenia, a perda de massa muscular e da força, aumenta o risco de complicações em diversos quadros