Low Pressure Fitness: O que é e quais são os benefícios

14 de julho, 2021

Entre as diversas estratégias usadas para diminuir a circunferência da cintura, existe o Low Pressure Fitness. Também conhecido como “método da barriga negativa”, o LPF é uma prática respiratória que fortalece a musculatura do abdômen.

Desenvolvido pelos espanhóis Piti Pinsach e Tamara Ria, o Low Pressure Fitness combina respirações ritmadas, treinamento postural e conceito hipopressivo. Assim, o objetivo é atuar principalmente nos músculos oblíquo interno e transverso-abdominal, localizados na região da barriga.

Apesar de ser conhecido por construir a famosa barriga negativa, o LPF não é recomendado para quem deseja emagrecer. Isso porque o método auxilia apenas na diminuição da circunferência abdominal, reduzindo até 12 centímetros após 12 aulas.

Leia também: Exercício para afinar a cintura

Como funciona

Durante as sessões de Low Pressure Fitness, é necessário realizar exercícios que incluem: apnéia expiratória com abertura das costelas, sucção abdominal e elevação do diafragma.

Dessa maneira, há o levantamento dos órgãos internos por meio da tração do diafragma. Com isso, todo o grupo muscular é contraído involuntariamente.

Após algumas aulas, é possível perceber a redução da cintura, a melhora da postura e a ativação do assoalho pélvico. Além disso, o sistema respiratório também é beneficiado. 

Leia mais em: Abdominal hipopressivo: O que é, como funciona e benefícios

Outros benefícios do Low Pressure Fitness

O LPF pode trazer muitas vantagens para quem o pratica. Dessa maneira, veja os principais:

  • Reduz a circunferência do abdômen e da cintura;
  • Melhora a postura, prevenindo e tratando todos os tipos de hérnias (discais, abdominais, inguinais, etc);
  • Além disso, fortalece o assoalho pélvico e o abdômen;
  • Melhora problemas de incontinência urinária;
  • Reduz estresse e ansiedade;
  • Melhora funções sexuais e dores menstruais;
  • Acelera a recuperação pós-parto;
  • Por fim, aumenta a capacidade cardiorrespiratória.

Geralmente, não há contraindicação para a prática, apenas a necessidade de um cuidado a mais em alguns casos — como para hipertensos e gestantes. Contudo, é sempre bom buscar acompanhamento médico de você pretende apostar no método.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo