Iogurte búlgaro: Conheça os benefícios da novidade no Brasil

Alimentação Bem-estar
09 de Junho, 2021
Iogurte búlgaro: Conheça os benefícios da novidade no Brasil

Se você nunca ouviu falar no iogurte búlgaro, vale procurar conhecer mais sobre o alimento. Isso porque ele parece ser o “novo iogurte grego”: carrega tantos benefícios para o corpo que não vai demorar para fazer parte do cardápio de muitos brasileiros que buscam manter uma alimentação saudável.

Quer saber mais sobre ele? Veja a seguir:

História do iogurte búlgaro

Apesar de não tão conhecido quanto seus “parentes” grego e islandês (skyr), o búlgaro pode ser considerado o “pai” dos iogurtes. Registros afirmam que o alimento é consumido por lá há mais de quatro mil anos — não é à toa, então, que ele já faz parte da cultura do país e protagoniza pratos doces e salgados, como o tarator (sopa de iogurte gelada com pepino e especiarias).

Os mais velhos contam que ele foi descoberto acidentalmente por tribos nômades que habitavam a região. Eles tinham o costume de armazenar leite em recipientes feitos com pele de animais, criando assim um ambiente propício para as bactérias.

Além disso, foi um cientista búlgaro quem descobriu o processo de fabricação do iogurte em 1905. Stamen Grigorov, aos 27 anos, conseguiu identificar o micro-organismo Lactobacillus bulgaricus, a bactéria principal que fermenta o leite e gera o produto conhecido por ser saudável.

Com o tempo, o iogurte búlgaro ficou tão famoso que foi patenteado pelo Estado. Hoje, somente uma empresa (a LB Bulgaricum) possui a licença para a sua fabricação, e a vende para países como o Japão e a Coreia do Sul, lugares onde o alimento já é extremamente famoso.

Leia também: Iogurte grego: Conheça os benefícios

Benefícios nutricionais do iogurte búlgaro

O produto carrega muitos benefícios nutricionais. Confira alguns:

1 – Melhora a saúde intestinal

A sua principal vantagem é o alto teor de probióticos na composição — bactérias que auxiliam a digestão e contribuem para o equilíbrio da microbiota intestinal.

Na verdade, uma cepa especial da L. bulgaricus, que pode ser encontrada em iogurtes búlgaros, impede a proliferação exagerada dos micro-organismos nocivos para o organismo, segundo uma pesquisa feita pela Universidade de Harvard.

Mas não para por aí. Um estudo publicado na Biotechnology & Biotechnological Equipment concluiu que o iogurte búlgaro também possui prebióticos. Ou seja, ele é rico em substâncias que servem de alimento para os bichinhos bons do intestino.

2 – Alivia a prisão de ventre (e melhora o humor)

Assim como a maioria dos iogurtes, a versão búlgara ajuda a manter a digestão saudável e regular. Um artigo de março deste ano, inclusive, fala que a sua ingestão evita a constipação.

Aliás, os cientistas descobriram mais uma vantagem do alimento: ele pode melhorar o humor. Isso porque, segundo a teoria, nosso intestino está intimamente ligado ao cérebro.

Leia também: Constipação e alimentação: 4 mitos desvendados

3 – É baixo em lactose

Seu processo de fermentação costuma ser mais demorado do que os de iogurtes tradicionais e, por isso, ele contém pouca lactose (tipo de açúcar presente em leite e derivados). Portanto, o produto pode ser de mais fácil digestão.

4 – Boa fonte de nutrientes essenciais

O iogurte búlgaro não é coado. Então, contém o soro do leite — parte que concentra aminoácidos, vitaminas e minerais, como:

  • Cálcio;
  • Potássio;
  • Magnésio;
  • Zinco;
  • Fósforo;
  • Selênio;
  • Tiamina;
  • Vitamina B5;
  • Vitamina B6;
  • Riboflavina (vitamina B2);
  • Vitamina B12;
  • Colina.

Iogurte búlgaro no Brasil

Por enquanto, só uma marca produz iogurte búlgaro aqui no Brasil — o produto foi lançado este ano. Ele é fermentado direto no pote, assim como eram feitos os alimentos antigamente.

Além disso, a empresa garante que ele possui menos gordura do que um copo de leite.

Como escolher o melhor iogurte

Contudo, e como todos os iogurtes que a gente encontra no mercado, algumas opções costumam ser mais saudáveis do que outras. Por isso, na hora de escolher, é sempre bom priorizar aquelas sem açúcar e com o mínimo de corantes, estabilizantes e espessantes.

As variações orgânicas e feitas com leite integral de vacas A2A2 (animais selecionados e que produzem leites mais saudáveis) parecem ser as melhores, apesar de mais difíceis de encontrar.

Sobre o autor

Amanda Panteri
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em alimentação saudável.

Leia também:

dieta do óleo de coco
Alimentação Bem-estar

Dieta do óleo de coco: o que é, riscos e cardápio

Na prática, os benefícios da dieta do óleo de coco estão em sua ação no organismo. Saiba mais

mulher correndo na esteira da academia. Ela usa um véu na cabeça
Bem-estar Movimento

Qual cardio queima mais calorias? Especialista responde

Corrida, bike, natação… Você já se perguntou qual tipo de cardio queima mais calorias? Profissional de educação física responde