Importância dos exames de rotina: veja motivos para priorizar sua saúde

Saúde
12 de Janeiro, 2023
Importância dos exames de rotina: veja motivos para priorizar sua saúde

Todo começo de ano é marcado por promessas, incluindo cuidar mais da saúde. No entanto, boa parte dessas resoluções ficam apenas no papel. Resultado: muitas pessoas deixam a saúde de lado e colocam outras prioridades à frente da lista. O check-up médico é uma das primeiras tarefas que vão para o fundo da gaveta, o que é um erro grave. A seguir, saiba a importância dos exames de rotina e por que eles podem salvar, literalmente, a sua vida.

Veja também: Afinal, quem tem diabetes pode ingerir bebida alcoólica?

Importância dos exames de rotina e outras dúvidas frequentes

Que atire a primeira pedra quem só foi ao médico quando já estava sentindo algum incômodo ou sintoma. Contudo, o hábito de buscar ajuda apenas se o corpo dá os sinais é um problema.

“Os exames preventivos ou de rotina têm a importância de detectar e prevenir doenças logo no começo. Assim, o diagnóstico precoce favorece melhores resultados em diversos tipos de tratamento”, reforça Ricardo Golmia, clínico-geral da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Por exemplo, doenças como o câncer respondem melhor a cuidados prévios, pois nos primeiros meses as células cancerígenas estão se proliferando. “O check-up frequente pode oferecer um prognóstico favorável. Ou seja, o que antes poderia ser fatal, agora pode ser tratado como doença crônica, permitindo ao paciente viver mais e melhor”, acrescenta o clínico geral.

Além disso, sintomas inespecíficos, como dores de cabeça, cansaço, fraqueza, falta de apetite e perda de peso costumam ser ignorados. Muitas pessoas creem que são somente sinais de um mal-estar temporário, o que atrasa ainda mais a investigação.

Homens são os mais vulneráveis a doenças graves

O motivo não está relacionado à predisposição genética ou a outros fatores de risco. Mas pelo simples fato de que os homens vão menos ao médico do que as mulheres.

Dados de 2021 do Instituto Lado a Lado pela Vida apontam que 62% só buscam atendimento profissional quando sentem sintomas insuportáveis.

São nessas circunstâncias que as pessoas descobrem enfermidades graves, como câncer de próstata, diabetes, hipertensão e por aí vai.

Por isso, talvez um dos maiores desafios do Ministério da Saúde é conscientizar a população de que um check-up pode salvar vidas. Agora que você já sabe o porquê de priorizar a saúde, vamos às dúvidas frequentes.

Quais são os principais exames de rotina?

Ricardo Golmia explica que os testes variam conforme idade, sexo e estado de saúde de um paciente. No entanto, para quem nunca fez um check-up ou não tem histórico de doenças, os exames de fezes e urina são essenciais. “São pedidos mais básicos feitos por um médico, e por mais simples que pareçam, eles apontam diversos fatores de saúde de uma pessoa”, comenta.

Outros exames que não podem faltar:

Hemograma completo: quantifica glóbulos vermelhos, brancos, hemoglobina e plaquetas. Se os níveis estão baixos, normais ou elevados, o médico consegue uma primeira avaliação da condição de saúde – e o que fugir do controle é o primeiro alerta para uma investigação mais detalhada. Quadros como anemia e leucemia podem ser detectados por meio do hemograma completo.

Mapa de pressão arterial: ajuda a identificar se a pessoa possui pressão alta, uma doença assintomática, mas perigosa se não houver controle.

Teste ergométrico: submete o corpo a esforços variados para medir a frequência cardíaca e a suspeita de doenças cardiovasculares.

Exames de hormônios tireoidianos e sexuais: mapeiam possíveis alterações hormonais responsáveis por transtornos metabólicos, por exemplo.

Eletrocardiograma: serve para avaliar a atividade elétrica do coração. Faz parte do check-up de saúde se houver outras condições presentes, tais como diabetes, hipertensão, colesterol alto, e histórico familiar de doença cardíaca.

Papanicolau: indispensável para mulheres, observa as células do colo do útero, identificando possíveis alterações e doenças uterinas (inflamações, infecção pelo HPV e câncer).

Próstata: precisa ser feito pelos homens de 40 anos ou mais. “Infelizmente o exame ainda não se tornou um hábito para os homens. Eles ainda possuem uma certa ‘resistência’ quanto à prevenção do câncer de próstata nessa faixa etária”, explica o especialista da BP.

Mais exames que seu médico pode pedir

  • Colesterol total e frações.
  • Triglicérides.
  • Ultrassom da tireoide e de outras partes do corpo.
  • Densitometria óssea (principalmente para mulheres durante ou após a menopausa).
  • Índice de massa corporal para medir sobrepeso ou obesidade.
  • Teste de função pulmonar.
  • Exames oftalmológicos.

Vale lembrar que um check-up de rotina é personalizado, pois o médico precisa analisar seu estilo de vida, se possui alguma doença, antecedentes familiares e outras questões.

Com qual frequência devo realizar os exames de rotina?

A periodicidade irá depender da recomendação médica. Todavia, se você nunca teve doenças prévias, mas entende que o check-up é uma medida preventiva, realize os exames a cada seis meses.

Outras pessoas que monitoram ou fazem tratamento de certas enfermidades podem ter que repetir a bateria de exames com mais frequência. Portanto, consulte seu médico, que pode ser clínico geral, endocrinologista, cardiologista ou de outra especialidade.

 

Descubra seu peso ideal. É grátis! Saiba se seu peso atual e sua meta de peso são saudáveis com Tecnonutri.
cm Ex. 163 kg Ex. 78,6

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

insulina oral
Saúde

Insulina oral: Pesquisadores desenvolvem novo tratamento para diabetes

A nova versão se mostrou mais prática e deve gerar menos efeitos colaterais

Ivete Sangalo pneumonia
Saúde

Ivete Sangalo é internada com pneumonia. Entenda o quadro

A pneumonia é uma infecção respiratória que causa tosse com muco ou pus, febre e dificuldade respiratória

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo