Glúten pode afetar a pele e causar acne?

14 de outubro, 2019

A acne é uma condição inflamatória comum da pele, e tem uma variedade de fatores agravantes em pessoas de todas as idades. Embora os fatores precisos que agravam a acne às vezes sejam desconhecidos, muita atenção está sendo direcionada à alimentação. O glúten é uma dessas considerações na dieta.

O que é glúten?

O glúten não é um ingrediente único, mas um grupo de proteínas que ocorrem naturalmente em vários grãos, como:

  • Trigo;
  • Centeio;
  • Triticale (uma mistura de centeio e trigo);
  • Cevada.

Quando se pensa em glúten, pães e massas geralmente vêm à mente. Devido à sua natureza elástica, o glúten é considerado uma “cola” que mantém esses tipos de alimentos macios. No entanto, ele é encontrado em uma variedade de outros produtos alimentares, como sopas e molhos para salada.

Algumas pessoas não conseguem comer glúten devido à sensibilidade ou intolerância. 

Apesar de algumas das alegações que circulam na Internet, seguir uma dieta sem glúten não cura acne. Não há evidências clínicas de que o glúten provoque esse problema de pele, principalmente se você não tiver nenhuma forma de alergia ou intolerância. 

Glúten e outros problemas de pele

Embora o glúten não tenha sido cientificamente associado à acne, outras condições da pele podem estar associadas à doença celíaca. Isso inclui as seguintes condições:

  • Alopecia;
  • Dermatite atópica;
  • Dermatite herpetiforme;
  • Urticária;
  • Psoríase;

Existe uma ligação entre dieta e acne?

Uma pesquisa apresentada no 28º Congresso da EADV (Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia), em Madri, neste mês de outubro, descobriu que maus hábitos alimentares – marcados principalmente pela ingestão de doces e alimentos com alto teor de açúcar – são um dos fatores mais significativos que levam à acne. 

Durante o estudo, os profissionais analisaram dados de 6.700 participantes em seis países da América do Norte, América do Sul e Europa, a fim de determinar quais fatores externos e internos estavam mais associados.

Eles descobriram que 48,2% dos indivíduos que sofrem de acne consumiam produtos lácteos (o que foi estudado anteriormente), 35,6% consumiam sucos ou xaropes de refrigerante, 37% consumiam doces e chocolates e 29,7% consumiam açúcar, todos diariamente. 

Estudos anteriores mostraram que alimentos com um alto índice glicêmico podem desencadear acnes e espinhas; esses novos números apenas destacam ainda mais a relação entre a dieta e a pele profundamente conectadas.

Faça sua avaliação de peso, descubra seu peso ideal e aprenda a emagrecer com a Low Carb. Clique para saber mais

Como a dieta afeta acne e a pele?

Para entender como a acne se desenvolve, é preciso saber mais sobre o comportamento da pele: sua superfície é coberta por pequenos orifícios, os poros, que se conectam às glândulas sebáceas.

As glândulas sebáceas produzem um líquido oleoso chamado sebo, que é enviado à superfície através de um canal fino chamado folículo. O óleo se livra das células cutâneas mortas, carregando-as pelo folículo até a parte externa da pele. 

A acne ocorre quando os poros se entopem com células mortas, excesso de sebo e, às vezes, bactérias. Durante a puberdade, os hormônios geralmente fazem com que as glândulas sebáceas produzam excesso de óleo, o que aumenta os riscos de acne, mas a verdade é que elas também acontecem na vida adulta. 

Nenhum corpo é igual a outro, e algumas pessoas acham que têm mais ou menos acne quando comem algum nutriente. Sob a supervisão do seu médico, pode ser útil mudar a dieta para ver o que funciona melhor para você.

Certos alimentos, entretanto, aumentam o açúcar no sangue mais rapidamente do que outros. Quando o açúcar no sangue aumenta, o corpo libera um hormônio chamado insulina. O excesso de insulina pode fazer com que as glândulas sebáceas produzam mais óleo, aumentando os riscos de acne.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.