Gatilho emocional: O que é e como lidar com ele

18 de dezembro, 2019

Provavelmente você já passou por alguma situação em que alguém fez um comentário em um tom de “brincadeira”, mas que o atingiu de alguma maneira. Normalmente, as pessoas possuem um gatilho emocional, ou seja, uma reação emocional diante de situações negativas. De repente, você se sente deslocado, com ataque de ansiedade, depressão, culpa ou vergonha quando alguém expressa qualquer desaprovação a seu respeito.

Mas, por que temos gatilhos? Na infância, inevitavelmente, enfrentamos alguma dor ou sofrimento, não podendo lidar com isso no momento. Assim, quando adultos, são criados os gatilhos para experiências que nos fazem relembrar essas ocasiões.

Leia também: Saúde emocional: O que é e como cuidar da sua

Assim, os gatilhos emocionais são criados após experiências negativas. Entretanto, pode ser difícil identificar exatamente o que eles são. Porém, reconhecê-los é essencial para quem deseja aprender a reagir melhor sobre eles. Também, existem maneiras de responder, em vez de “revidar” os gatilhos. Saiba quais são:

Nomeie o gatilho emocional

A nomeação é a principal maneira de lidar com gatilhos. Fazer uma lista de gatilhos familiares, que muitas vezes são repetidos, pode levar a ficar atento e ter um plano para lidar com eles. Assim, você saberá como reagir a essas situações.

Encontre sua fonte

Encontrar a fonte de um gatilho – como por exemplo traumas ou eventos específicos – é fundamental para se libertar dele. Trabalhar nos gatilhos originais ajuda a acabar com o poder deles. Com isso, é mais fácil resolver a situação.

Leia também: Como cuidar melhor da saúde emocional

Compartilhe seu gatilho emocional algum familiar ou amigo

Dividir com pessoas de confiança seus gatilhos pode ajudar a reduzir seus impactos. Você pode se sentir sozinho muitas vezes, porém, se estiver com alguém capaz de transmitir confiança e que possa te ajudar a lidar com os gatilhos, você se sentirá mais tranquilo.

Seja gentil com você mesmo

Todos erram. Diante disso, quando errar ou estiver passando por uma situação em que se sinta insuficiente, pense o contrário. Ter pensamentos positivos sobre si mesmo pode ajudá-lo a ter mais autoconfiança. 

Dessa forma, as pessoas se confortam e mostram compreensão, em vez de se repreenderem por se sentirem tão enfraquecidos pelas reações que um gatilho mostra. 

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo