Flexibilização do uso de máscara: o que muda e as medidas de proteção

Saúde
09 de Março, 2022
Flexibilização do uso de máscara: o que muda e as medidas de proteção

Após dois anos de pandemia, a flexibilização do uso de máscara está se tornando realidade. Com a queda do número de mortes e casos da variante Ômicron do coronavírus nas últimas semanas, as máscaras estão começando a cair, literalmente. A princípio, algumas capitais já liberaram o uso parcial do item de segurança, que pode ser dispensado em locais abertos. Exceto o Rio de Janeiro, único estado que decretou o fim da utilização obrigatória em ambientes abertos e fechados. Diante da flexibilização do uso de máscara, o que muda em nosso dia a dia?

Veja também: Sintomas de gripe na volta às aulas: o que fazer?

Flexibilização não significa fim da pandemia

A flexibilização é uma boa notícia que traz mais alívio para a população. Por outro lado, tenha em mente que ainda não é hora de aposentar a máscara. De acordo com Pedro Francisco Giavina Bianchi Jr., coordenador do grupo de Trabalho ASBAI COVID-19 da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, é fundamental prosseguir com todas as medidas de segurança pensando em sua saúde e de todos.

O especialista reitera os seguintes cuidados:

  • Distanciamento social: evite aglomerações e mantenha a distância de 1 metro das pessoas, na medida do possível. Essa recomendação é válida em locais abertos e fechados.
  • Higienize mãos, itens e ambientes: continue lavando as mãos com frequência. Além disso, utilize o álcool em gel quando estiver na rua ou em outro local onde não seja possível lavar as mãos. Não se esqueça de higienizar alimentos e compras, equipamentos de treino se for para a academia, bem como manter a limpeza de sua casa e ambiente de convívio.
  • Vacine-se: diversos estudos já comprovaram a eficácia da vacinação para todas as faixas etárias. “A vacina reduz a probabilidade de contaminação, comprovado na prática com a queda dos casos e mortes por Covid-19”, afirma Bianchi Jr. Por isso, fique de olho nas doses de reforço e nas orientações dos órgãos de saúde.

Recomendações para o uso de máscara

Manter-se informado é importante para acompanhar novas medidas de segurança. Embora a flexibilização do uso de máscara esteja em vigor, é preciso aguardar algumas semanas para avaliar a resposta imunológica da população e avaliar o impacto dessa medida.

“Em ambientes fechados e aglomerados, o uso de máscara sempre será bem-vindo”, salienta Renato Grinbaum, infectologista e docente do curso de Medicina da Universidade Cidade de S. Paulo – Unicid. Além disso, lembre-se de que locais fechados possuem maior risco de transmissão (transporte público e escolas, por exemplo), e nesse momento o uso da máscara continua sendo eficaz na prevenção. De acordo com Grinbaum, no caso de locais abertos, avalie a quantidade de pessoas no ambiente e a capacidade do distanciamento social.

Dessa forma, a troca de máscaras a cada período continua valendo. Substitua o item de segurança sempre que estiver úmido ou a cada 2 ou 3 horas. Tem dúvidas sobre o tipo de máscara mais eficaz? Clique aqui para descobrir o acessório mais seguro para continuar se protegendo.

Fontes: Pedro Francisco Giavina Bianchi Jr., médico infectologista coordenador do grupo de Trabalho ASBAI COVID-19 da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia; Renato Grinbaum, médico infectologista e docente do curso de Medicina da Universidade Cidade de S. Paulo – Unicid.

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Medir a pressão arterial
Saúde

Medir a pressão arterial: veja novas recomendações

Veja novas recomendações da Sociedade Brasileira de Cardiologia

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma