Dicas de como baixar a febre em bebês e crianças

Gravidez e maternidade Saúde
08 de Novembro, 2022
Dicas de como baixar a febre em bebês e crianças

A febre é um dos sintomas de saúde que preocupam, sobretudo quando acomete bebês e crianças. Por essa razão, muitas famílias decidem levar os pequenos ao pronto-socorro. A recomendação médica, em geral, costuma incluir medicamentos para baixar a temperatura corporal. Mas e se mesmo assim não abaixar a febre? Quais alternativas podem auxiliar na redução da febre?

Leia mais: Febre: afinal, quais são as causas e o que fazer

O que é caracterizada a febre em bebês e crianças?

A temperatura corporal normal varia de pessoa para pessoa. No caso de bebês e crianças, a febre é caracterizada quando a temperatura supera 37,8º, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Quais são as causas?

A febre acontece em resposta a infecção, lesão ou inflamação e tem muitas causas. De acordo com a Dra. Cecília Gama Tartari, pediatra, o sintoma é uma forma do organismo combater o microrganismo que entrou em contato com a criança. As causas mais comuns são:

  • Infecções respiratórias causadas por vírus, como resfriados e gripes;
  • Gastroenterite (infecção do trato digestivo);
  • Determinadas infecções bacterianas, especialmente infecções do ouvido (otite média), infecções dos seios nasais, pneumonia e infecções do trato urinário;
  • Nascimento de dentes.

Além disso, recém-nascidos e bebês correm maior risco de certas infecções graves que podem causar febre, como sepse, pneumonia e meningite.

Causas menos comuns incluem efeitos colaterais de vacinações e de certos medicamentos, infecções bacterianas da pele ou das articulações. A insolação também causa uma temperatura corporal muito elevada.

Sintomas

Os bebês com febre ficam, em geral, mais irritados e podem não dormir nem se alimentar bem. Outras crianças podem perder o interesse em brincadeiras. Em geral, quanto mais alta a febre, mais irritáveis e desinteressadas as crianças ficam.

Tratamento

Ainda que a febre seja desconfortável, ela nem sempre exige tratamento em crianças saudáveis. No entanto, em crianças com distúrbio pulmonar, cardíaco ou cerebral, pode aumentar a carga sobre o corpo (elevando a frequência cardíaca, por exemplo).

Assim, baixar a temperatura nessas crianças é importante. Veja como reduzir a febre sem o uso de medicamentos.

Alternativas de cuidado da febre infantil

As maneiras de ajudar crianças com febre a se sentirem um pouco melhor sem o uso de medicamentos incluem dar bastante líquidos para prevenir a desidratação e colocar panos frescos e molhados (compressas) na testa, nos pulsos e nas panturrilhas dos pequenos.

No entanto, muitas vezes não são alternativas práticas e, por isso, o mercado tem trazido novas possibilidades.

Uma nova opção são as compressas adesivas frias, que auxiliam na redução da febre. Além de práticos, não contém medicamentos, podendo ser utilizados concomitantemente com outros prescritos pelo pediatra. São dermatologicamente seguros e a remoção é indolor.

Ainda de acordo com a Dra. Cecília, pediatra, o ideal é “não medicar de imediato, mas deixar o organismo trabalhar. Se a criança estiver com o estado geral bom, ou seja, brincando, se alimentando, observe se ela está com febre acima de trinta e oito e muito prostrada. Nesse caso, é indicado algum antitérmico. Porém, para os pais que não gostam muito de dar remédio, um banho morno – mais para o frio – pode ajudar. Fazer um escalda pés também auxilia na diminuição da febre”, completa a especialista.

Além disso, quando a criança está com febre, é comum que ela fique com as extremidades frias e o corpo quente. Nesse caso, não é bom utilizar agasalhos. “Deixe a criança um pouco mais à vontade ou seja, deixe-a transpirar”, explica a pediatra.

Por fim, a médica destaca que existem alguns medicamentos homeopáticos que conseguem reduzir a febre. “Mas se a criança estiver muito prostrada, aí a indicação é realmente fazer o antitérmico”, finaliza.

Quando consultar um médico

As crianças devem ser avaliadas por um médico imediatamente caso apresentem sinais de alerta ou tenham menos de dois meses de idade.

As crianças sem sinais de alerta que tiverem entre três meses e três anos de idade devem ser examinadas por um médico caso a febre seja de 39 ºC ou mais. No caso de crianças sem sinais de alerta e com mais de três anos de idade, a necessidade e o momento de uma avaliação médica dependem dos sintomas da criança.

Fonte: Dra. Cecília Gama Tartari, pediatra da Clínica Mantelli.

Referências: Manual MSD e Sociedade Brasileira de Pediatria.

Leia também:

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!

doação de óvulos qualidade dos óvulos
Gravidez e maternidade

É possível melhorar a qualidade dos óvulos de uma mulher?

O DNA dos óvulos que uma mulher libera ao longo da vida forma-se antes mesmo do nascimento dela. Mesmo assim, é possível melhorar a qualidade dos

5 hábitos saudáveis para enxaqueca
Saúde

5 hábitos saudáveis para enxaqueca

A enxaqueca é uma doença crônica que causa um tipo de dor de cabeça latejante