Febre amarela em São Paulo: Estado registra 1º caso desde 2020

Saúde
30 de Janeiro, 2023
Febre amarela em São Paulo: Estado registra 1º caso desde 2020

A Secretaria da Saúde divulgou na última semana um novo caso de febre amarela em São Paulo. A vítima é um homem de 73 anos, residente na cidade de Vargem Grande do Sul, e que não foi vacinado contra a doença. De acordo com o órgão, o paciente já teve alta. Após três anos sem infecções registradas, especialistas de saúde voltam a reforçar a importância da vacinação.

Entre 2016 e 2019, o estado de São Paulo viveu um surto de febre amarela, doença que apresenta uma taxa de mortalidade de 36%, de acordo com o Jornal  da Universidade de São Paulo (USP). Em nota, o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) apontou que a vacinação contra a febre amarela está em 64% no estado e voltou a reforçar que a transmissão da doença não tem relação direta com os macacos.

Veja também: Vacina da febre amarela: quando tomar e reações comuns

Afinal, o que é febre amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida ao homem e a primatas não humanos (macacos), por meio da picada de mosquitos infectados. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a doença é responsável por mais de 200 mil casos ao ano: destes, infelizmente, 30 mil vão a óbito. No entanto, a boa notícia é que tem como prevenir a doença: a vacina é extremamente eficaz, segura e gratuita.

Principais sintomas 

Os primeiros sinais da febre amarela aparecem depois de três a seis dias após a infecção. Portanto, entre os principais sintomas estão:

  • Febre alta; 
  • Calafrios;
  • Cansaço;
  • Dor de cabeça;
  • Dor muscular;
  • Náuseas e vômitos.

A maioria das pessoas melhora após os sintomas iniciais. Porém, cerca de 15% a 25% podem evoluir para complicações mais graves como a insuficiência hepática e renal, causando hemorragias. Dessa forma, alguns sintomas podem aparecer nesse estágio como:

  • Icterícia (amarelamento da pele e dos olhos);
  • Urina escura;
  • Dores abdominais com vômitos;
  • Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago;

Por isso, é de suma importância que, diante dos primeiros sintomas, já procure o atendimento médico de urgência. 

Prevenção e tratamento 

A vacinação é a melhor forma de evitar a febre amarela. Dessa forma, crianças a partir de nove meses e adultos até 59 anos podem e devem se vacinar, sendo que o imunizante está disponível no SUS e nas clínicas particulares. Além disso, pessoas com mais de 60 anos devem se vacinar somente se residirem em regiões de transmissão da febre amarela ou forem viajar para áreas de transmissão da doença.

Não existe um medicamento específico contra a febre amarela. Geralmente, os médicos controlam os sintomas como a febre, a desidratação e as possíveis complicações nos rins e fígado. Além disso, o Ministério da Saúde não recomenda o uso do medicamento ácido acetilsalicílico, como o AAS e Aspirina, já que podem favorecer hemorragias.

Além da vacinação, outra medida que podemos adotar é evitar a proliferação do mosquito. Assim, simples medidas diárias podem ajudar nesse combate, como evitar o acúmulo de água em caixas d’água expostas, latas, pneus, pratinhos de planta, entre outros recipientes.

 

Referência: Secretaria da Saúde e Ministério da Saúde.

Sobre o autor

Tayna Farias
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em gravidez e maternidade

Leia também:

insulina oral
Saúde

Insulina oral: Pesquisadores desenvolvem novo tratamento para diabetes

A nova versão se mostrou mais prática e deve gerar menos efeitos colaterais

Ivete Sangalo pneumonia
Saúde

Ivete Sangalo é internada com pneumonia. Entenda o quadro

A pneumonia é uma infecção respiratória que causa tosse com muco ou pus, febre e dificuldade respiratória

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo