Fazer listas faz bem para a saúde mental: Dicas para adotar o hábito

25 de junho, 2021

Quem tem o costume de fazer planners e listas já pode comemorar: ordenar a rotina beneficia a saúde mental. Isso porque quem procura programar com antecedência as tarefas do dia tende a procrastinar menos, ser mais eficiente na administração do tempo e não esquecer de compromissos e entregas importantes. Por outro lado, quem não possui o costume de planejar a rotina, fica com a dúvida: como ser mais organizado?

Por que ser mais organizado?

Dizem que pessoas bagunceiras são mais criativas. Contudo, a característica tem o seu lado ruim no que diz respeito à produtividade. Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, pessoas desorganizadas, ou seja, que acumulavam objetos desnecessários, não conseguiam manter o foco em suas tarefas e objetivos, e também eram mais estressadas.

Já outro estudo, feito com mulheres, descobriu que aquelas que descreviam as suas casas como desleixadas estavam mais deprimidas, cansadas e tinham níveis mais altos de cortisol (hormônio do estresse) do que as que tinham suas casas organizadas.

E não para por aí — ser relapso pode influenciar até no que você come. Pesquisas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, descobriram que pessoas que trabalharam em um espaço limpo por 10 minutos tiveram duas vezes mais chances de escolher uma maçã do que uma barra de chocolate.

Leia também: Como ser organizado impacta a sua saúde física e mental

Por que fazer listas?

A ideia de que você precisa dar conta de tudo o tempo todo é completamente errada. Mas é possível deixar a rotina mais organizada adotando o simples hábito de fazer listas! E você pode escolher o seu modo preferido: no computador, no celular, em um aplicativo, e, é claro, no bom e velho papel.

Fazer listas à mão, aliás, é o jeito mais defendido por especialistas. Isso porque você consegue visualizar as tarefas mais facilmente, e ao escrever o que tem para fazer, seu cérebro já fica mais ligado. Além disso, o papel não tem as distrações do celular ou do computador — como redes sociais e mensagens.

Deixe as anotações sempre à vista, e tente incluir informações importantes para que elas funcionem também para consultas, e não só como lembretes.

Como fazer listas?

Não é nada complicado! Mas se você ainda não estiver com vontade de listas para o trabalho, vale começar com as mais simples, que são mais divertidas e podem te dar bons insights na hora de partir para as mais complicadas:

1 – Listas de atividades que você gosta de fazer

Elenque todos os hobbies que você ama realizar — acrescente, também, aqueles que fazia no passado, mas que deixou de lado por algum motivo. Aulas de dança, aprender novos idiomas, pintar, dançar, tocar algum instrumento… Tudo isso pode ser aprendido com sessões online.

2 – Listas dos seus filmes favoritos

Você sabe, sem precisar consultar, quais são os seus 10 filmes favoritos de todos os tempos? Se não, é uma boa listá-los e até tentar atualizar os títulos com uma sessão de cinema em casa.

3 – Séries que ainda quer maratonar

O mesmo vale para as séries. Consulte amigos e colegas e peça boas indicações para eles. Depois, por que não criar uma lista de prioridades para ver?

4 – Livros para ler

Ler melhora o funcionamento do cérebro, trabalha a concentração e estimula a criatividade e a imaginação. Sem contar que é uma ótima maneira de aumentar o seu repertório cultural.

5 – Metas e projetos pessoais

Tem vontade de emagrecer ou abandonar o sedentarismo, por exemplo? Vale, para isso, fazer listas com o passo a passo para você atingir o objetivo — dividir a grande meta em pequenas tarefas torna o processo mais fácil.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.