Faustão precisará de transplante cardíaco, diz hospital

Saúde
21 de Agosto, 2023
Faustão precisará de transplante cardíaco, diz hospital

Fausto Silva, conhecido como Faustão, precisará de um transplante cardíaco e já está na fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS). A informação foi divulgada pelo hospital onde o apresentador está internado, o Israelita Albert Einstein, no último domingo (20/08).

Faustão está hospitalizado desde o dia 5 de agosto para tratar uma insuficiência cardíaca. De acordo com o boletim médico, seu quadro se agravou. Ele está realizando diálise (processo artificial que “filtra” o sangue) e precisa de medicamentos para ajudar no bombeamento do coração.

Confira o comunicado divulgado pelo hospital e assinado pelos médicos Fernando Bacal, cardiologista, e Miguel Cendoroglo Neto, Diretor Médico e de Serviços Hospitalares:

“Em 05 de agosto, Fausto Silva deu entrada no Hospital Israelita Albert Einstein para tratamento de insuficiência cardíaca, condição que vem sendo acompanhada desde 2020. Ele encontra-se sob cuidados intensivos e, em virtude do agravamento do quadro, há indicação para transplante cardíaco. O paciente está em diálise e necessitando de medicamentos para ajudar na força de bombeamento do coração. Fausto Silva já foi incluído na fila única de transplantes, regida pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, que leva em consideração, para definição da priorização, o tempo de espera, a tipagem sanguínea e a gravidade do caso”.

Leia também: Entenda o que é insuficiência cardíaca, condição de Faustão

Estado de saúde

Na última sexta-feira (18/08), o filho do apresentador publicou um vídeo no qual o pai explica a situação. Nele, Faustão cita a possibilidade de necessidade de cirurgia e tranquiliza os fãs.

“Eles vão decidir que tipo de cirurgia podem fazer. Eu peço que, para quem gosta de mim, reze por mim.”

Leia também: Doação de órgãos no Brasil: como é a vida de quem recebe?

Faustão e transplante cardíaco: como funciona o processo?

A doação de órgãos é um ato por meio do qual podem ser retirados órgãos ou tecidos de uma pessoa (viva ou falecida) para serem utilizados no tratamento de outra pessoa (o receptor). O processo é conhecido como transplante.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o Brasil é referência na área e possui o maior sistema público de transplantes do mundo: o país é o 2º maior transplantador global, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

O procedimento é destinado a pacientes com doenças crônicas ou agudas que já esgotaram as possibilidades de tratamento e cuja única alternativa é a substituição da estrutura afetada.

Para ser classificado nessa categoria, o indivíduo precisa passar por avaliações de uma equipe transplantadora, que confirmará a necessidade do transplante e a presença de doenças “reconhecidamente transplantáveis”. Essas doenças e condições de saúde estão elencadas no Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes, definido pela Portaria de Consolidação GM/MS Nº 4, de 28 de setembro de 2017.

Então, o paciente entra em uma espécie de lista – e o tempo de espera por um novo órgão pode variar de acordo com fatores como gravidade do caso, tempo de espera, tipo sanguíneo… Tudo isso consta no Sistema Nacional de Transplantes.

Por fim, o processo ainda envolve a identificação de um potencial doador e mais algumas etapas burocráticas até a realização da cirurgia. Saiba mais aqui.

Referência: Processo de doação e transplantes, Ministério da Saúde (MS).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

chá para dor de garganta
Alimentação Bem-estar Saúde

7 chás para dor de garganta (e como preparar)

Quando o assunto é garganta inflamada, uma prática comum é a preparação de bebidas quentes.

Inchaço ou gordura
Alimentação Bem-estar Saúde

Inchaço ou gordura: como diferenciar?

A maneira mais fácil de descobrir é notar a rapidez com que eles ocorrem, além da localização no corpo. Entenda

edema articular
Saúde

Edema articular: o que é, causas e tratamentos

O edema, habitualmente, não é uma doença, mas uma das manifestações de uma outra doença