Endometrite crônica: conheça a doença que pode afetar a fertilidade

Gravidez e maternidade Saúde
26 de Setembro, 2023
Endometrite crônica: conheça a doença que pode afetar a fertilidade

O endométrio é a camada interna que reveste o útero. É nele que o embrião se fixa quando ocorre a fecundação, dando início a gestação. Suscetível a alterações dentro e fora do período menstrual, o endométrio pode ser acometido de bactérias nocivas e que podem causar infertilidade feminina: a chamada endometrite crônica. Saiba mais a seguir! 

Veja também: Gravidez após aborto espontâneo: saiba como retomar as tentativas

O que é endometrite crônica? 

A endometrite crônica é uma inflamação de longa duração do endométrio, camada que reveste o útero. Ela acontece devido a presença de bactérias que podem ser causadas por uma série de fatores, como por exemplo: curetagem pós aborto, inserção de DIU, pós-parto ou até infecções sexualmente transmissíveis, como gonorreia e clamídia.

Assim, ao se desenvolverem e popularem no endométrio, as bactérias tornam o ambiente impróprio para a implantação do embrião e portanto, pode ser um fator de risco quanto à fertilidade da mulher. Além disso, a condição também aumenta as chances de aborto espontâneo quando o embrião consegue passar pelo endométrio mas não encontra um ambiente adequado para o pleno desenvolvimento.

Sintomas comuns 

  • Febre
  • Dores abdominais 
  • Secreção vaginal com forte odor
  • Sangramentos
  • Dor durante a relação sexual

Além desses sinais, vale ressaltar que a endometrite também pode se manifestar de forma assintomática. Geralmente, os sintomas são mais presentes na endometrite aguda. 

Diagnóstico e tratamento 

A endometrite é uma condição de difícil prognóstico e geralmente entra como um diagnóstico de exclusão de demais outras condições. Portanto, nesse sentido, exames como endoscopia uterina e biópsia do endométrio contribuem com a análise clínica e confirmação da condição. 

A boa notícia é que o tratamento envolve uso de antibióticos (orais ou injetáveis) que trazem a cura da inflamação. Esse tratamento possibilita ainda que o endométrio volte a ter as condições adequadas para a concepção. 

Por fim, vale ressaltar que, nos casos em que a mulher está tentando engravidar, os medicamentos devem ser administrados tanto por ela, quanto pelo seu parceiro para eliminar todas as bactérias.

Por outro lado, mesmo que a mulher não deseje engravidar, a condição deve ser tratada para evitar a evolução da inflamação que, em casos mais severos, pode levar a septicemia, quadro de infecção generalizada que pode ser fatal. 

Referência: Manual MSD Saúde

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

profissional de saúde segurando um DIU no pós-parto
Gravidez e maternidade Saúde

DIU no pós-parto: como funciona, quando colocar e cuidados

Com alta eficácia, o DIU no pós-parto oferece uma solução prática para o planejamento familiar após uma gestação.

menina com ritmo circadiano saudável dormindo na cama durante as férias
Bem-estar Gravidez e maternidade

Férias escolares: como manter um ritmo circadiano saudável?

Manter um ritmo circadiano saudável por meio de uma rotina consistente é fundamental para o bem-estar físico e mental.

Como manter a saúde digestiva no inverno?
Saúde

Como manter a saúde digestiva no inverno? 7 dicas para os meses mais frios

Confira sugestões compartilhadas por gastrocirurgião e nutricionista de como garantir o bom funcionamento do aparelho digestivo nos meses mais frios do ano